Ponte precisa vencer e quebrar tabus

Após a derrota de 2 a 1 para o São Paulo, domingo passado, a Ponte Preta passou a depender de vitórias contra Flamengo e Fortaleza para escapar do rebaixamento no Campeonato Brasileiro. E desafio é que não falta. O time campineiro terá que quebrar dois tabus para evitar o descenso. O primeiro será derrotar o clube carioca, domingo, no Rio. O palco do jogo será o Maracanã, local onde a Ponte nunca conquistou uma vitória diante de qualquer adversário.O segundo será o jejum de vitórias dentro do próprio estádio Moisés Lucarelli, em Campinas. Quando enfrentar o Fortaleza, pela última rodada, o time alvinegro completará 154 dias sem vencer em seus domínios. A última vitória aconteceu no dia 13 de julho, quando derrotou o Bahia, por 1 a 0, gol do atacante Fabrício Carvalho. Durante esse período, a Ponte atuou no Majestoso por 11 vezes, sendo que perdeu cinco e empatou seis. Curiosamente, a única vitória da Ponte como mandante, nesse tempo, aconteceu na Vila Belmiro (4 a 1 sobre o Paraná), já que havia perdido o mando de um jogo."Sabemos de todas dificuldades, mas nossa dignidade está em primeiro lugar e vamos lutar até o fim", disse o técnico Abel Braga. "O guerreiro está ferido, mas não morto. Perdemos uma batalha e não a guerra, por isso vamos entrar com tudo nos últimos jogo s", endossou o meia Rafael Ueta, destaque dos últimos jogos.Para o confronto, Abel não poderá contar com o zagueiro Gerson, suspenso pelo terceiro amarelo. Em seu lugar entra Rafael Santos. Em compensação, o lateral-direito Marquinhos retorna de suspensão no lugar de Carlos Alexandre. A dúvida fica por conta do m eia Ronildo, que fez tratamento no departamento médico nesta quarta-feira. Caso não tenha condições de jogo, Luizinho Vieira será o titular. Por outro lado, o volante Ângelo e o atacante Dario Gigena, que não tinham se apresentado na terça-feira aparecer am no clube e treinaram junto com os companheiros em dois períodos.A Ponte ocupa a lanterna do Brasileiro, com 46 pontos, e não vence dentro da competição há oito rodadas, quando derrotou o arqui-rival Guarani, por 3 a 1, no dia 11 de outubro, pela 36ª rodada.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.