Vinicius Costa/Futura Press
Vinicius Costa/Futura Press

Ponte Preta aposta em superação para poder derrotar o Corinthians em Campinas

Equipe fecha semana difícil após jogos com Palmeiras e Atlético-MG

Estadão Conteúdo

27 Agosto 2016 | 08h00

A Ponte Preta espera encerrar a semana mais difícil desta temporada sem perder para o Corinthians, neste sábado, a partir das 16 horas, no estádio Moisés Lucarelli, em Campinas (SP), pela 22.ª rodada do Campeonato Brasileiro. A palavra encontrada pelo técnico Eduardo Baptista para atingir este objetivo é superação. Ele reconhece qualidades no adversário, mas aposta que seu time pode fazer outra boa exibição "principalmente com o apoio da nossa torcida".

A semana começou quente no último domingo com o empate com o Palmeiras por 2 a 2, em São Paulo, pelo Brasileirão. Na quarta-feira, o time campineiro segurou o empate por 1 a 1 com o Atlético Mineiro, em Belo Horizonte, pela rodada de ida das oitavas de finais da Copa do Brasil, e agora pega outro rival paulista.

"Pegamos de uma só vez os três melhores times do futebol brasileiro no momento. O Corinthians mudou um pouco com a saída de Tite, mas continua um time forte com o Cristóvão (Borges) e com grandes jogadores", disse Eduardo Baptista.

Depois ele completa fazendo comparação de altos e baixos de seu time, que ocupa a sétima posição com 31 pontos. "Quando perdemos para o Cruzeiro, por 4 a 0, no primeiro turno, eu disse que o nosso time não era tão ruim como falaram. Agora eu digo que, apesar do bom momento, não temos um time tão forte como alguns pensam. Mas a Ponte Preta é competitiva e apresenta um futebol consistente, portanto capaz de buscar um bom resultado de novo", afirmou.

O técnico pontepretano também vê a chance, em caso de vitória, da equipe alçar voos maiores. Chegaria aos 34 pontos e ficaria apenas três atrás do próprio Corinthians, atualmente em terceiro lugar. Com relação ao time, ele ressaltou que está um pouco debilitado pela sequência de jogos importantes, mas esperar superar este compromisso porque depois terá 10 dias de folga na tabela.

Sem o volante João Vitor, suspenso com três cartões amarelos, o dono da posição será Wendel, que não atuou em Belo Horizonte porque já tinha defendido o Goiás pela Copa do Brasil. O também volante Maycon, emprestado pelo Corinthians, sentiu dores no joelho e não treinou. Caso não se recupere totalmente, vai ser substituído por Abuda, ex-Cruzeiro. O meia Thiago Galhardo vai ser mantido por ter dado mais dinâmica ao setor.

No ataque, a expectativa é da manutenção de Rhayner e Clayson pelas beiradas e Roger centralizado. O artilheiro do time William Pottker, com seis gols, passou a semana tratando uma lesão muscular e só treinou levemente nesta sexta-feira, quando houve o único treino antes do jogo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.