Ponte Preta capta recursos e projeta arena multiuso

O presidente da Ponte Preta, Sérgio Carnielli, aproveitou a presença do ministro do Esporte Orlando Silva Júnior em Campinas para anunciar, nesta segunda-feira, a captação de R$ 1,3 milhão, por meio da Lei de Incentivo ao Esporte, para projetos do futebol amador do clube. Confirmou também a construção da moderna Arena Ponte Preta, que deve ser concluída em dois anos e abrigar 30 mil torcedores."É um avanço para a Ponte Preta. Estamos entre os poucos clubes que conseguem, de forma legal, agilizar recursos e também vamos nos empenhar, ao máximo, para construir o nosso novo estádio", comentou Carnielli.Orlando Silva também destacou o trabalho dos dirigentes da Ponte Preta para angariar recursos por meio de leis de benefícios ao esporte. "São poucos clubes que se organizaram, a tal ponto de poder apresentar e aprovar projetos deste porte. A Ponte, agora, está ao lado de clubes como o São Paulo e o Cruzeiro. Ou seja, num seleto grupo de clubes", explicou o ministro.No total, a Ponte conseguiu captar R$ 1.312.390,93 para três projetos distintos. Um deles é de desenvolvimento muscular, com captação de R$ 795.144,96. Outro é de fisiologia aplicada ao esporte, com captação de R$ 144.048,00, e o terceiro é de avaliação, prevenção e recuperação das lesões de esportes (fisioterapia), com captação de R$ 373.197,16.Em relação à Arena Ponte Preta, promessa de campanha da reeleição de Sérgio Carnielli, já teve a aprovação do conselho deliberativo e agora falta a aprovação dos associados. "Mas tudo está definido", garante Carnielli. O total de investimento é de R$ 112 milhões, captados em bancos e com receitas próprias, advindas da venda do atual Estádio Moisés Lucarelli. O projeto já foi todo desenvolvido pela empreiteira Odebrecht, que promete seguir à risca o cronograma da diretoria. A obra será construída em 86 mil metros quadrados na atual sede poliesportiva do Jardim Eulina, onde fica também o Centro de Treinamento do clube. Um novo CT será construído em Sumaré, na vizinha cidade de Campinas. Uma empresa mista vai administrar a arena multiuso, pagando seu financiamento e ainda gerando recursos para o clube.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.