Ponte Preta com mais duas baixas

Lanterna no Campeonato Brasileiro e ameaçada pelo rebaixamento à Série B a Ponte Preta vive situações delicadas. Na apresentação do elenco, nesta terça-feira à tarde, duas ausências foram notadas, o que abre a perspectiva de mais deserções por conta da crise que aterroriza o clube. O volante Ângelo e o atacante argentino Dario Gigena não apareceram e as explicações apresentadas pelo supervisor Ronaldão de Jesus não foram convincentes, mesmo por causa de outros antecedentes. Ângelo teria ficado no estádio Moisés Lucarelli ao invés de se apresentar ao Centro de Treinamento do Jardim Eulina, enquanto Gigena não conseguiu pegar o vôo de volta da Argentina, onde teria acompanhado um problema de saúde da esposa. Existe a grande possibilidade de que os dois engrossem a extensa lista de 21 jogadores que abandonaram o clube nesta temporada. Mas antes de confirmar a presença dos jogadores em campo, a comissão técnica teve ainda que assistir a uma reunião com líderes de torcidas organizadas. Cinco torcedores de discutível representatividade manifestaram o apoio da torcida para o time, que disputará dois jogos decisivos contra Flamengo, no Maracanã, e diante do Fortaleza, no Majestoso. Depois do "sermão", os jogadores realizaram exercícios leves, apenas de desintoxicação. É sob este clima de incertezas e insegurança que o técnico Abel Braga tenta reanimar o elenco para o jogo diante do Flamengo, domingo, no Rio de Janeiro. Ele não terá o zagueiro Gérson, suspenso com três cartões amarelos, mas contará com a volta do lateral Marquinhos, que cumpriu suspensão, e deve ocupar a vaga de Carlos Alexandre. O time, porém, só deve ser confirmado após o coletivo de sexta-feira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.