Ponte Preta comemora vaga na Copa Sul-Americana de 2017

Equipe garantiu classificação na competição graças ao título da Chapecoense

Estadão Conteúdo

06 de dezembro de 2016 | 20h53

A confirmação da Chapecoense como campeã da Copa Sul-Americana deu à Ponte Preta uma vaga na competição continental de 2017. Mesmo sem entrar em campo há 10 dias, o elenco recebeu a notícia na última segunda-feira, quando a Conmebol também confirmou a taça ao time catarinense. A equipe campineira ficou muito próxima de ganhar o torneio em 2013, mas caiu para o Lanús na grande final.

A explicação está na tabela de classificação do Campeonato Brasileiro. O título da Chapecoense abre mais uma vaga para o Brasil, que já tinha seis. Com isso, do sétimo até o 13.º estão garantidos na Sul-Americana da próxima temporada. Com 50 pontos, a Ponte Preta não pode mais ser alcançada pelo Coritiba, que tem apenas 46, em 14.º. Por outro lado, o clube campineiro também não chega mais no G6 da Copa Libertadores, já que o Botafogo tem 56.

Com isso, o time campineiro entrará em campo neste domingo, às 17 horas, pela 38.ª e última rodada, apenas com a ambição de realizar a melhor campanha na história dos pontos corridos - o recorde é do ano passado com 51 pontos -, além de aumentar a sua premiação. Se chegar em oitavo, por exemplo, receberá R$ 1,95 milhões, valor bem mais alto do que se ficar em 13.º: R$ 1 milhão.

Em parceria com a Secretaria de Esportes da Prefeitura de Campinas, a Ponte Preta irá realizar um jogo beneficente, o Majestoso Solidário, no próximo dia 18. A partida será realizada no estádio Moisés Lucarelli e contará com ex-jogadores do clube. Para assistir, basta levar um quilo de alimento não perecível ou um brinquedo em boas condições.

Nesta terça-feira, o clube realizou uma coletiva com as presenças do Secretário de Esportes, Dário Saadi, e dos ex-jogadores Monga, André Cruz e Dicá para divulgar o evento. Saadi explicou que os materiais arrecadados será direcionados às diversas instituições de caridade da cidade de Campinas, levando em conta qual está mais necessitada no momento.

"Nós temos um cadastro de entidades que acompanhamos diariamente para sabe que em está precisando mais. A gente faz um trabalho para saber quem está precisando e decidir como proceder", disse o secretário.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.