Ponte Preta confirma que não vai liberar jogadores sem pagamento de multa

A boa campanha da Ponte Preta no Campeonato Paulista deixou os seus principais jogadores na mira de outros clubes que disputam o Paulistão. Ainda que os Estaduais não tenham terminado, os volantes Fernando Bob e Bruno Silva e o atacante Rildo já receberam propostas para deixarem o time de Campinas, mas a diretoria pontepretana promete não liberar ninguém sem o pagamento da multa rescisória.

Estadão Conteúdo

21 de abril de 2015 | 21h05

Na última segunda-feira, o presidente da Chapecoense, Sandro Pallaoro, chegou a declarar que Bruno Silva se apresentaria no time de Chapecó nos próximos dias, mas não contava com o jogo duro da Ponte. Com contrato com o time campineiro até o final do ano, o volante tem uma multa rescisória acima de R$ 2 milhões.

Já o Santos sonha em contar com o volante Fernando Bob. O volante deixou o último Paulistão como o jogador que mais desarmou - 27 no total - e foi indicado pelo técnico do time da Baixada Santista, Marcelo Fernandes.

A Ponte Preta, porém, já tem um pé atrás com o Santos. O clube ainda deve um total de R$ 485 mil ao time de Campinas referente ao empréstimo do atacante Rildo no ano passado. Desta forma, o camisa 5 só pode ir para a Baixada Santista caso a multa de R$ 3 milhões seja depositada na conta da Ponte Preta.

Se luta para manter o seu elenco, a Ponte Preta também não deve anunciar grandes contratações para o Brasileirão. Temendo inflacionar a sua folha salarial, o time de Campinas aposta em jogadores que venham por empréstimo, como lateral-esquerdo Gilson, vindo do Cruzeiro, que assinará contrato até o final do ano com o clube campineiro.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolPonte Preta

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.