Ponte Preta diz não ter pressa para escolher substituto de Doriva

A direção da Ponte Preta reagiu com surpresa diante da saída inesperada de Doriva, que aceitou nesta quarta-feira o convite para dirigir o São Paulo. Nem por isso, em situação confortável na tabela de classificação do Campeonato Brasileiro, deixou os dirigentes em desespero. Tanto que prometem escolher com calma um substituto e que pode ser algum técnico que já atuou nesta competição.

Estadão Conteúdo

07 de outubro de 2015 | 18h45

Milton Mendes, ex-Atlético-PR, tem um perfil adequado para este momento e pode ser convidado. Antes de dirigir o time paranaense, ele foi campeão paulista da Série A2, com a Ferroviária. "É preciso ter calma para escolher o profissional certo", ponderou o presidente Vanderlei Pereira. Outro nome cotado é Gilson Kleina, do Avaí, que já trabalhou na Ponte.

Quem explicou a saída de Doriva em nome da direção do clube foi o gerente de futebol Gustavo Bueno. "Fui procurado por ele (Doriva) perto das 13 horas e ele já veio com uma posição definida. Não era questão de salário ou de qualquer outro tipo de problema. Ele já veio determinado a aproveitar esta chance profissional, inclusive pela afinidade que tem com o São Paulo, onde atuou no passado".

Doriva se despediu rapidamente de alguns jogadores que estavam no clube naquele momento, alegando que iria para São Paulo para rapidamente começar seu trabalho no Morumbi. Desagradou a imprensa por se negar a dar declarações e por sair rapidamente "quase fugido" dos jornalistas. Na segunda-feira à noite, ele "deu cano" no programa Cartão Verde, da TV Cultura.

Gustavo disse que são poucos os nomes qualificados no mercado para assumir o time, que está a duas vitórias de garantir a sua permanência na Série A em 2016. Pelo menos, nas contas dos dirigentes. A Ponte é a nona colocada no Brasileirão, com 41 pontos. E calcula que estará livre do rebaixamento com 47 pontos. Evitar a volta para a Série B era o único objetivo da diretoria nessa temporada, tanto que desprezou sua participação na Copa Sul-Americana.

Mas agora o objetivo já é buscar um técnico que possa trabalhar na próxima temporada, quando o time vai participar de quatro competições: o Campeonato Paulista, a Copa do Brasil, a Copa Sul-Americana e o Brasileirão. Uma reunião aconteceu no final desta tarde e outra deve ocorrer entre os dirigentes na quinta-feira.

Depois da folga de dois dias, os jogadores voltam aos treinos nesta tarde. Por enquanto, os treinamentos serão administrados por Felipe Moreira, auxiliar fixo do clube. Ele é filho do técnico Marco Aurélio Moreira, que também iniciou a carreira no próprio clube. Felipe pode até dirigir o time, caso necessário, diante do Palmeiras, dia 14, quarta-feira, pelo Brasileirão, no Allianz Parque, em São Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolPonte PretaDoriva

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.