Ponte Preta empata com Oeste e completa 4 jogos sem vencer

Com o 2 a 2 em casa, time de Campinas ainda se manteve na oitava posição no Paulistão

AE, Agência Estado

17 de fevereiro de 2012 | 21h33

A Ponte Preta completou o seu quarto jogo sem vitória ao empatar com o Oeste por 2 a 2, nesta sexta-feira, no estádio Moisés Lucarelli, pela oitava rodada do Campeonato Paulista. O time de Campinas vinha de dois empates e uma derrota e chegou aos 12 pontos, agora em oitavo lugar. O representante de Itápolis, com sete pontos, ocupa a 15.ª posição.

Sem vencer há três jogos, a Ponte Preta começou mais agressiva, procurando seu gol. Rapidamente teve duas chances no ataque e marcou seu gol aos oito minutos. Depois do levantamento de Cicinho, pelo lado direito, a defesa rebateu e a bola ficou nos pés de Márcio Diogo. Ele ajeitou para trás, onde Renato Cajá bateu de primeira, de chapa de pé. Um belo gol.

O Oeste, porém, não ficou na defesa e passou a imprimir velocidade pelas beiradas do campo. Aos 24 minutos empatou. Após triangulação pelo lado direito, Adriano fez o cruzamento e Tadeu se antecipou à defesa para desviar de cabeça no ângulo do goleiro Lauro. A Ponte Preta reagiu rapidamente. Aos 29 fez o segundo gol. Guilherme dominou a bola sozinho na frente da área e arriscou o chute de longe. A bola saiu forte e fora do alcance do goleiro Zé Carlos.

No retorno para o segundo tempo, o Oeste voltou com o atacante Assisinho na vaga do meia Wanderson. Era sinal de que iria ao ataque. E empatou o jogo logo aos cinco minutos. Fernandinho lançou Mazinho em diagonal, nas costas da marcação. Ele dominou e bateu cruzado fora do alcance do goleiro Lauro.

O técnico Gilson Kleina tentou mudar o cenário com a entrada de dois atacantes: Rossi e Bruno Nunes nos lugares, respectivamente, do lateral-esquerdo Renan e do atacante Leandrão. Mais tarde ainda renovou seu ataque com a entrada de Rodrigo Pimpão no posto de Márcio Diogo. O time não melhorou e não conseguiu mudar o resultado.

Após o carnaval, a bola volta a rolar. Na próxima quarta, de novo em Campinas, a Ponte Preta vai receber o Ituano. Na quinta, o Oeste joga outra vez longe de casa. Vai até São Paulo para enfrentar o Palmeiras, no Pacaembu, pela nona rodada.

PROTESTO E LUTO

Antes do jogo, um protesto curioso. A Torcida Jovem da Ponte Preta protestou contra o atacante Roger, pela primeira vez no banco de reservas. Isso porque, em 2010, ele vestiu a camisa de uma torcida organizada do rival Guarani, a Fúria Independente. Foram afixados cartazes com imagens desta foto nas bilheterias, banheiros e outras áreas do estádio.

Mais válido foi a homenagem com um minuto de silêncio pela morte de Bide, ex-meia da Ponte Preta, aos 86 anos. Ele foi ídolo nas décadas de 50 e 60, quando recebeu o apelido de "maestro" ao vestir a camisa 10. Marcou 88 gols, sendo o quinto maior goleador da história do clube.

PONTE PRETA 2 x 2 OESTE

PONTE PRETA - Lauro; Guilherme, Ferrón, Gian e Renan (Rossi); Xaves, João Paulo, Cicinho e Renato Cajá; Márcio Diogo (Rodrigo Pimpão) e Leandrão (Bruno Nunes). Técnico: Gilson Kleina.

OESTE - Zé Carlos (Paulo Mussi); Fabrício, Adriano Alves e Éder Lima; Paulo Vítor, Dionísio, Wanderson (Assisinho), Mazinho e Fernandinho; Marcinho Beija-Flor (Serginho) e Tadeu. Técnico: Roberto Cavalo.

GOLS - Renato Cajá, aos 8, Tadeu, aos 24, e Guilherme, aos 29 minutos do primeiro tempo; Mazinho, aos 5 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - Renato Cajá e Gian (Ponte Preta); Serginho, Paulo Mussi, Tadeu, Éder Lima e Assisinho (Oeste).

ÁRBITRO - Márcio Henrique de Gois.

RENDA - R$ 23.567,00.

PÚBLICO - 2.985 pagantes.

LOCAL - Estádio Moisés Lucarelli, em Campinas (SP).

Notícias relacionadas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.