Ponte Preta encara o Vasco para respirar mais aliviada no Brasileirão

Jogo em Campinas começa às 16h

O Estado de S.Paulo

27 de outubro de 2013 | 08h20

SÃO PAULO - A Ponte Preta está em estado de graça por causa da classificação para as quartas de final da Copa Sul-Americana, obtida na Colômbia, contra o Deportivo Pasto. Só que no Campeonato Brasileiro a situação da Ponte é dramática e ficará ainda pior se o time não derrotar neste domingo o Vasco, no Moisés Lucarelli, às 16h. Do outro lado do gramado estará uma equipe também sob grande risco de rebaixamento para a Série B do Brasileiro.

As duas equipes estão entre as quatro últimas do campeonato, mas só o Vasco pode sair da zona de rebaixamento nesta rodada. A Ponte, no entanto, está em momento melhor – e não apenas por causa da Sul-Americana. Nas últimas duas rodadas, a equipe campineira obteve uma vitória e um empate, enquanto os cariocas só marcaram um ponto (um empate e uma derrota). A diretoria ponte-pretana decidiu usar no jogo de hoje um recurso que já deu certo na Sul-Americana: vender ingressos a preços "simbólicos". Cada entrada custa R$ 2 (R$ 1 em caso de meia-entrada). No primeiro jogo contra o Deportivo Pasto, que também teve promoção de ingressos, o público foi de 14.700 pessoas. Os dirigentes esperam que hoje o Moisés Lucarelli receba ainda mais gente.

Mesmo preocupado com o desgaste causado pela viagem à Colômbia, Jorginho, técnico da Ponte, acredita que sua equipe está em ótima forma para o jogo. Ele não poderá contar com o zagueiro César, que está com uma lesão na coxa direita, e o meia Fellipe Bastos, que foi emprestado pelo Vasco e não poderá jogar por causa de uma cláusula em seu contrato. "Não podemos perder uma oportunidade como essa, jogando na nossa casa contra um adversário também em situação delicada. E, por isso, vamos com força máxima", disse Jorginho. "Será difícil, mas temos a chance de diminuir a diferença para os times que estão fora da zona de rebaixamento."

EMBALO

Se a Ponte está animada por causa da campanha na Copa Sul-Americana, o Vasco jogará no embalo da vitória por 3 a 2 sobre o Goiás, na quinta-feira, pela Copa do Brasil. É verdade que o time que jogou foi o reserva e que o Vasco foi eliminado, mas os aplausos dos mais de 35 mil torcedores que foram ao Maracanã servem de estímulo para os titulares, que jogarão descansados. "É claro que queríamos a classificação na Copa do Brasil, mas ali naquele jogo valeu muito também o comprometimento do grupo", disse Dorival Júnior, técnico do Vasco.

Para deixar a defesa vascaína mais protegida, ele deverá escalar três zagueiros – Jomar, Cris e Rafael Vaz. Dorival aposta que o Vasco estará em melhores condições físicas do que a Ponte Preta e que isso poderá fazer a diferença na partida deste domingo.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolponte pretabrasileirãovasco

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.