Ponte Preta ensaia debandada geral

Precisando apenas de um empate contra o Santo André, domingo, no Majestoso, para se livrar do rebaixamento no Campeonato Paulista, a Ponte Preta trabalha mais tranqüila. Apesar do pedido do técnico Vadão para que os jogadores se concentram neste jogo de despedida, muitos deles estão de olho em eventuais transferências. Os principais destaques do time parecem estar de saída como Roger e Harison. O atacante Roger teria uma proposta do Japão e outra de um clube brasileiro. "Quem me disse foi meu procurador, mas não sei nomes", propalou o atacante pelos cantos do Majestoso. Ele é o artilheiro do time no Paulistão, com 9 gols. A proposta de Harison seria mais real: uma oferta de R$ 1 milhão por uma temporada no futebol japonês, onde já atuou. O meia marcou sete gols nesta temporada. Outro jogador valorizado é o zagueiro Rafael Santos, cujo contrato termina em dezembro. As duas eventuais saídas poderiam render um bom dinheiro para o clube, mas o vice-presidente Marco Antônio Eberlin, desmente qualquer proposta oficial: "Não temos nada em mãos. Assim não podemos comentar nada", disse, enfático. O dirigente também não confirmou, mas o clube tem interesse em dois jogadores do Corinthians: o meia Dinélson e o atacate Jô.Além disso, já acertou contrato verbal com o atacante Izaías, da Internacional. Mesmo sem a chegada de reforços, o clube já tem relacionado 47 inscrições na CBF.

Agencia Estado,

12 de abril de 2005 | 18h31

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.