Ponte Preta estreia técnico Eduardo Baptista sem quatro titulares

Primeiro desafio do novo comandante da equipe acontece na Arena Condá, diante da Chapecosente

Estadao Conteudo

24 de setembro de 2017 | 07h11

Apesar da confiança demonstrada em sua apresentação como técnico da Ponte Preta, na última quinta-feira, Eduardo Baptista vai estrear contra a Chapecoense, neste domingo, na Arena Condá, em uma situação delicada e com vários desfalques importantes. Um deles, de última hora. Momentos antes do embarque, o meia Renato Cajá acusou dores na panturrilha esquerda e deixou a delegação. Soma-se a isso, as baixas já confirmadas de três titulares: o goleiro Aranha, o atacante Emerson Sheik, ambos machucados, e o volante Elton, suspenso.


O desafio passou a ser superar tantos desfalques e mostrar um bom futebol neste jogo considerado decisivo na luta de ambos para se distanciar do risco de rebaixamento. Cada um tem 28 pontos, com o time catarinense tendo a vantagem no número de vitórias: 8 a 7. O time paulista nunca esteve dentro da zona de degola até esta 25.ª rodada. No primeiro turno, a Ponte Preta venceu por 3 a 2.


"O grupo está unido e podemos fazer um bom jogo. Os desfalques vão ter que ser absorvidos pelos jogadores que vão entrar e ganhar a chance de mostrar seu valor. É nisso que temos que confiar. O adversário também está pressionado. Por isso temos que ter equilíbrio, paciência e atuar de maneira organizada" discursou o substituto de Gilson Kleina, demitido após a derrota na última rodada para o lanterna Atlético-GO, por 3 a 1, no Moisés Lucarelli.


A baixa inesperada foi o meia Renato Cajá. Ele treinou na sexta-feira e praticamente estava escalado. Mas reclamou de dores e houve consenso em deixá-lo em Campinas, em função do risco de agravar sua lesão. A delegação seguiu à tarde para Chapecó sem ele. Em princípio o time teria somente a ausência do volante Élton, suspenso com três cartões amarelos, em relação à formação que venceu o Sport, por 1 a 0, na quarta-feira, pela Copa Sul-Americana. Em seu lugar entra Fernando Bob, que estava suspenso na competição da Conmebol.


A ausência de Cajá deve ser suprida por outro volante, provavelmente Wendel. Outros dois jogadores da posição estão disponíveis: Jadson, liberado pelos médicos, e Jean Patrick. O goleiro Aranha, titular por 71 jogos seguidos desde agosto do ano passado, ficará pela segunda partida ausente. Ele sente dores na coxa direita e no ombro e segue em tratamento. Emerson Sheik, com lesão na coxa esquerda, também continua de fora.


Mas a opção por três volantes, permite a escalação de três atacantes que já atuaram diante do Sport: Felipe Saraiva, Léo Gamalho e Lucca. Todos estão em alta. Saraiva, formado na base, tem 19 anos, e é muito veloz. Gamalho, vindo do Goiás, fez dois gols em quatro jogos e Lucca voltou a balanças as redes contra o Sport depois de oito jogos de jejum. Ele é o artilheiro do time no Brasileirão, com dez gols, e na temporada, com 21.


"Já tenho o time escalado, mas só vou divulgar antes do jogo. O que posso adiantar é que será um time equilibrado, tanto na marcação como no ataque", disse Eduardo Baptista, que pretende suprir a falta de tempo para treinamentos durante estes últimos dias com bastante papo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.