Ponte Preta ignora protesto da torcida

A Ponte Preta vai continuar trabalhando em busca de seus objetivos e de acordo com seu planejamento elaborado pela comissão técnica antes do início da temporada. Esta é a posição da diretoria, que como jogadores e membros da diretoria, ignoraram o protesto feito por um grupo de torcedores, em Matão.A inesperada derrota para a Matonense, por 2 a 0, no domingo, causou uma inesperada reação por parte do grupo de torcedores que compareceu em Matão para apoiar o time. Já no início do segundo tempo, os poucos mais de 200 torcedores, colocaram de ponta-cabeça a faixa com a inscrição "Ponte Amor Maior" da Torcida Jovem."É um direito do torcedor", limitou-se o técnico Nelsinho Baptista. Os jogadores também respeitaram a posição da torcida, como o veterano Ronaldão, de 35 anos. "Acho isso normal, mas temos que continuar trabalhando e seguir atrás da classificação", comentou. Com a derrota, a segunda no Campeonato Paulista, a Ponte caiu da quarta para a sexta posição, com 14 pontos, e agora buscará a reabilitação contra o Mogi Mirim, sábado, no Majestoso, no reencontro com sua torcida.Antes, porém, a Ponte fará sua estréia na Copa do Brasil contra o Castanhal, nesta quarta-feira, no Pará. O técnico Nelsinho já avisou que pretende colocar em campo seu time titular para tentar uma vitória por dois gols, que evitará o jogo de volta, na próxima semana, em Campinas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.