Ponte Preta 'lamenta' ficar com vaga na Copa Sul-Americana e menos dinheiro

Eliminada na Copa do Brasil, a Ponte Preta ganhou como prêmio de consolação a vaga na Copa Sul-Americana, torneio em que foi vice-campeã em 2013. A possibilidade de disputar o torneio continental, contudo, não parece seduzir a diretoria e tão pouco a comissão técnica ainda decepcionada por deixar a competição nacional na cobrança de pênaltis, depois de devolver em Campinas a derrota por 2 a 1 para o Coritiba.

Estadão Conteúdo

23 de julho de 2015 | 20h04

O técnico Guto Ferreira citou o elenco limitado como um dos obstáculos para disputar simultaneamente a Copa Sul-Americana com o Campeonato Brasileiro. "Se estamos com dificuldade para administrar o elenco, podemos nos expor na Sul-Americana", ressaltou.

A tendência é que a Ponte Preta utilize um time alternativo na competição continental, onde enfrentará na "fase brasileira" a Chapecoense. A Conmebol ainda não definiu as datas e nem a ordem dos confrontos. Não houve confirmação da cota, mas nesta fase não passaria de R$ 100 mil reais. Além disso, as despesas com transporte e hospedagem correm por conta dos próprios clubes. Se passasse às oitavas da Copa do Brasil, o clube teria uma cota líquida de R$ 690 mil.

No Brasileirão, o time paulista volta a campo neste domingo, quando recebe o Internacional, em Campinas. Após 14 jogos, o clube é o 11.º colocado, com 18 pontos.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolPonte PretaCopa Sul-Americana

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.