Divulgação
Divulgação

Ponte Preta lamenta prejuízos por não receber torcida do Palmeiras

Equipe de Campinas calcula perda de R$ 300 mil apenas com ponte-pretanos no jogo de domingo

Estadão Conteúdo

16 de fevereiro de 2018 | 19h14

Ao mesmo tempo em que a diretoria da Ponte Preta calcula um prejuízo em torno de R$ 300 mil por não poder receber a torcida do Palmeiras, neste domingo, às 19h30, no estádio Moisés Lucarelli, em Campinas (SP), pela oitava rodada do Campeonato Paulista, ela fez um corte grande em todas as áreas do clube, gerando uma economia estimada em R$ 5 milhões.

+ Ponte Preta fica sem meia e atacante titulares para jogo contra o Palmeiras

Nesta sexta-feira, o promotor Paulo Castilho visitou o estádio junto com o Coronel Sulita, que comanda os estádios no Estado de São Paulo. Ao lado da direção pontepretana, eles estudam uma forma de reforçar a segurança no local, motivo pelo qual o clube está proibido de receber torcida visitante. Normalmente seriam destinados três mil ingressos aos palmeirenses.

"Ficou definido que a diretoria fará um novo projeto e no futuro podemos rever a decisão tomada para evitar novos conflitos dentro e fora do estádio", afirmou Paulo Castilho, lembrando que, por enquanto, o estádio Moisés Lucarelli, continua sendo de torcida única. E os torcedores da Ponte estão proibidos de ver jogos fora de casa.

Tudo aconteceu depois da confusão gerada por um grupo de torcedores que invadiu o gramado na partida contra o Vitória, no ano passado, pelo Campeonato Brasileiro. O clube, inclusive, perdeu cinco mandos que serão cumpridos na Série B do Brasileiro, uma vez que o time foi rebaixado.

"Nosso orçamento caiu de R$ 40 para R$ 15 milhões no ano e, infelizmente, precisamos fazer cortes", justificou o presidente José Armando Abdalla. Muitos profissionais do departamento de futebol foram dispensados, principalmente da base, como preparadores físicos, técnicos, gerentes e até mesmo a nutricionista.

DUAS MUDANÇAS

 O técnico Eduardo Baptista não confirmou as duas mudanças que fará no time, mas são quase certas as entradas de Marciel no meio de campo e de Gabriel Vasconcelos no ataque. O primeiro entra no lugar de Tiago Real, machucado, e o segundo na vaga de Silvinho, suspenso com três cartões amarelos.

Os jogadores treinaram nesta sexta-feira e voltam neste sábado pela manhã para um recreativo com portões fechados. Até agora o time não venceu diante de sua torcida, com duas derrotas e um empate. Com nove pontos, é vice-líder do Grupo B.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.