Ponte Preta não encontra mais desculpas

Há nove rodadas sem vencer no Campeonato Brasileiro, a Ponte Preta vive uma rotina que parece não ter fim. Todo final de jogo é a mesma história, as mesmas desculpas, as mesmas lamentações, sempre puxadas pelo técnico Abel Braga. Nada mudou após a derrota para o Atlético Mineiro, por 2 a 0, domingo, no estádio Independência. Abel Braga entende que "nada dura para sempre e a maré de azar vai ter que acabar". Ele espera que a boa fase comece contra o Paraná, sábado, na Vila Belmiro, em Santos. Este jogo será realizado fora de Campinas porque a Ponte perdeu o mando de campo devido incidentes ocorridos após a derrota, em casa, para o Internacional, por 4 a 1. Na ocasião, um grupo de torcedores ameaçou e quase agrediu o trio de arbitragem.Mas a apatia da comissão técnica e também dos jogadores, com certeza, está relacionada ao atraso de salários. Alguns atletas estão sem receber há seis meses. O clube atravessa grave crise financeira e não há perspectiva de melhora. E, em campo, o time precisa reagir porque está bem próximo da zona de rebaixamento: ocupa a 20ª posição, com 31 pontos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.