Ponte Preta pode começar Série B sem lateral-esquerdo

A Ponte Preta pode começar o Campeonato Brasileiro da Série B sem um lateral-esquerdo no elenco. O diretor de futebol do time campineiro, Oscar Sales Bueno, o Dicá, confirmou que encontra dificuldades para encontrar reforços para a posição. A última negociação fracassada foi com Pará, que disputou o Paulistão pelo Bragantino.

AE, Agencia Estado

27 Abril 2009 | 20h44

Segundo o dirigente, a Ponte Preta chegou a fazer uma proposta ao atleta, mas o Vasco acabou "atravessando" o negócio. "Ficou difícil concorrer com os grandes clubes. Nós oferecemos R$ 20 mil (por mês), mas eles vêm e oferecem R$ 40 mil na mão", explicou.

A ausência de um camisa 6 se deve a uma espécie de maldição da posição. No Paulistão, a Ponte Preta chegou a ter quatro jogadores na lateral esquerda: Rodrigo Ninja, Fabinho, Alessandro e Galvão.

Ninja rescindiu contrato alegando problemas pessoais. Fabinho foi afastado por deficiência técnica e não será aproveitado. Galvão, de apenas 17 anos, sofreu uma apendicite e teve de passar por cirurgia. Por fim, Alessandro pediu a rescisão, na semana passada, já que não suportou a pressão da torcida pelas más atuações.

Enquanto não chega o reforço, o técnico Marco Aurélio deve seguir improvisando o zagueiro Marrom, que já atuou na função contra Santo André e Barueri. Apesar das dificuldades, Dicá garantiu que antes do início da Série B será apresentado um lateral.

Esta semana será movimentada para o clube. Nesta quarta, a Ponte Preta enfrenta o Americano, em Campos, pela rodada de ida das oitavas-de-final da Copa do Brasil, e depois, no sábado, decide o Título do Interior do Campeonato Paulista contra o Barueri, na Grande São Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.