Ponte Preta quer reforços no meio e ataque para fechar elenco

Teto salarial da equipe afastou alguns jogadores como Bollati e Marco Antônio

AE, Agência Estado

16 de agosto de 2013 | 21h27

SÃO PAULO - O primeiro turno do Campeonato Brasileiro está chegando ao fim, mas a Ponte Preta ainda continua em busca de reforços para fechar o elenco. Após seguidas reuniões entre diretoria e comissão técnica, ficou decidido que um meia ofensivo e um atacante são as principais prioridades.

"Nas últimas conversas que tivemos, o (Paulo César) Carpegiani falou muito de um atacante, sem especificar se é de velocidade ou referência, e um meia rápido, que consiga armar em velocidade", explicou o presidente Márcio Della Volpe, que também confirmou a desistência de Renato Abreu, liberado pelo Flamengo. O meia recebeu uma proposta da Ponte, mas está indo para o Santos.

No entanto, a diretoria alvinegra esbarra em algumas dificuldades para contratar as peças pedidas pelo treinador. A primeira é a falta de opções no mercado. A outra é o teto salarial da Ponte - R$ 80 mil. Isso acabou afastando alguns jogadores, como Marco Antônio, do Grêmio, Bolatti, do Inter, e Renato Abreu.

Enquanto isso, o técnico Carpegiani segue trabalhando com o que tem em mãos e o próximo desafio será no domingo, quando a Ponte recebe o Goiás, às 16 horas, no Estádio Moisés Lucarelli, pela 15.ª rodada. O zagueiro César, expulso, é desfalque. Por outro lado, o meia Ramírez volta depois de defender a seleção peruana, assim como o lateral Luis Advíncula. Como aconteceu nas últimas rodadas, o técnico promete novidades e também esconder o time.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.