Ponte Preta quer retomar boa campanha no Brasileirão com dois jogos em casa

Time vai fazer dois jogos em casa, no estádio Moisés Lucarelli, em Campinas

Estadão Conteúdo

10 Outubro 2016 | 18h07

Sem vencer há quatro jogos, a Ponte Preta encara a semana como importante para a sua campanha no Campeonato Brasileiro. O time vai fazer dois jogos em casa, no estádio Moisés Lucarelli, em Campinas (SP), e pretende somar seis pontos para carimbar a sua permanência na elite em 2017. Nesta quinta-feira pega o Vitória, ameaçado de queda, e no domingo o Santa Cruz, que se encontra na zona do rebaixamento.

Com 39 pontos em 10.º lugar, a Ponte Preta quer atingir a meta de 45 pontos. Para tanto vai ter que esquecer a queda de produção nos últimos quatro jogos, quando disputou 12 pontos e somou apenas um. Empatou por 2 a 2 com a Chapecoense, em Santa Catarina, depois perdeu para o Atlético Paranaense por 3 a 0, em Curitiba, e caiu em casa diante do Atlético Mineiro por 2 a 1. No último sábado, foi derrotado pelo Cruzeiro por 2 a 0, em Belo Horizonte.

O elenco voltou aos treinamentos nesta segunda-feira e participou de uma reunião com a comissão técnica. Existe uma cobrança em cima dos jogadores para que mantenham a concentração e evitem erros individuais. O técnico Eduardo Baptista disse que pretende fazer mudanças pontuais no time, sem mudar o esquema tático. É provável que o time volte a atuar com dois meias recuados, no caso Rhayner e Clayson, e com apenas um atacante.

PROMOÇÃO - A diretoria lançou uma promoção de ingressos para estes dois jogos. Cada partida vai ter disponibilizado cinco mil bilhetes na troca por duas garrafas pets, no programa Futebol Sustentável organizado pela Federação Paulista de Futebol (FPF). Além disso, os ingressos populares vão ser vendidos a R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia). "A nossa expectativa é contar com o apoio da torcida nestes dois jogos que são decisivos na campanha", afirmou o vice-presidente Giovanni Dimarzio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.