Ponte Preta renova a motivação para se reabilitar diante do Figueirense

Com a filosofia de trabalhar nas últimas rodadas "jogo a jogo", a Ponte Preta se concentra no compromisso contra o Figueirense, nesta quarta-feira, às 21 horas, pela 35.ª rodada do Campeonato Brasileiro. Com 50 pontos em nono lugar, conquistar uma vaga na Copa Libertadores parece distante, mas há outra esperança: terminar em sexto lugar e avançar direito às oitavas de finais da Copa do Brasil de 2016.

Estadão Conteúdo

18 Novembro 2015 | 07h24

"São duas motivações a mais para os jogadores e para o clube", atestou Gustavo Bueno, supervisor de futebol e que já planeja a temporada de 2016. Para o técnico Felipe Moreira, o lema sempre é o mesmo: "jogar para vencer". Ele sabe que a responsabilidade aumenta por atuar em casa, diante da torcida, além de reconhecer que a situação do adversário, perto da zona do rebaixamento, é um agravante a mais para o jogo.

"Mais do que nunca eles precisam destes pontos e vão correr muito. Com certeza vão dar trabalho", citou Felipe Moreira, lembrando a dificuldade que o time teve para vencer por apenas 1 a 0 o Joinville, virtualmente rebaixado. O Figueirense ocupa a 15.ª posição com 36 pontos, dois apenas na frente de Goiás e Coritiba, que abrem a zona de descenso, completada depois por Vasco, com 33, e Joinville, com 31.

Enquanto os planos e objetivos são bem claros, há uma tentativa de se fazer mistério em relação ao time, que encerrou nesta terça-feira os seus preparativos com portões fechados. Mas o lateral-direito Rodinei treinou e deve jogar. Ele foi poupado na última segunda, quando se apresentou com um quadro febril. A presença dele é importante por seu vigor físico e por ser especialista. Isso porque do outro lado, na esquerda, o volante Juninho será improvisado no lugar de Gilson, suspenso com três cartões amarelos. Fica evidente que o time deve usar mais o lado direito do campo para buscar o ataque.

Na frente, após boa participação na derrota para o Internacional, Clayson está confirmado ao lado de Alexandro e Biro Birô. "Jogamos bem contra o Internacional e sofremos um gol no final (aos 42 minutos), depois de desperdiçarmos várias chances. Isso que não pode acontecer diante do Figueirense", comentou Felipe Moreira, confiante em buscar a reabilitação e voltar a subir na tabela de classificação.

Mais conteúdo sobre:
futebolBrasileirãoPonte Preta

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.