Ponte Preta só fala no "jogo da morte"

Os jogadores da Ponte Preta se apresentaram na tarde desta terça-feira no Centro de Treinamento do Jardim Eulina com o pensamento voltado somente para a vitória contra o Fortaleza domingo, às 16 horas, no estádio Moisés Lucarelli, em Campinas. Com 47 pontos, nenhum outro resultado que não seja a vitória significará a volta à Série B do Campeonato Brasileiro após seis anos de sua volta à elite da competição nacional. O time campineiro precisa vencer, quebrando tabu de 154 dias sem vitória em casa. Seu último triunfo aconteceu dia 13 de julho, diante do lanterna Bahia, por 1 a 0. Desde então, foram 11 jogos, com sete derrotas e quatro empates. O que parece mais incomodar é outro pequeno tabu relacionado ao arqui-rival Guarani. Desde que a Ponte venceu o rival, por 3 a 1, não venceu mais ninguém. Foram nove jogos. Os torcedores mais supersticiosos não deixam de relacionar os fatos. "É preciso ter muita confiança e não ligar para estes tabus inventados por torcedores", diz o experiente meia Piá. Para voltar a vencer em casa, o técnico Abel Braga, que fará sua despedida de Campinas, terá o retorno do zagueiro Gerson, de volta após cumprir suspensão pelo terceiro cartão amarelo. O jogador ocupará a vaga de Rafael Santos para dar mais experiência ao time. Por outro lado, o volante Ângelo não enfrenta os cearenses graças a expulsão contra o Flamengo no último domingo. Com isso, Adrianinho deve ganhar nova oportunidade entre os titulares. Resta saber se ele terá a concentração necessária para o jogo mais importante do ano para a Ponte Preta. Adrianinho terá seu contrato encerrado no final do ano e já estuda propostas de Corinthians e Palmeiras. "Estou voltado apenas para o jogo contra o Fortaleza. A possibilidade de uma transferência só será analisada a partir de segunda-feira", disse o jogador, garantindo ter três propostas do Brasil e outras duas do exterior.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.