Ponte Preta tenta se livrar no Tribunal

Os dirigentes da Ponte Preta devem ter dores-de-cabeça nesta quarta-feira, quando o time será julgado no STJD devido aos incidentes ocorridos com a arbitragem após a goleada sofrida para o Internacional, por 4 a 1. A acusação é de que um grupo de torcedores tentou agredir o trio. A Ponte está incursa nos artigos 227 e 230 do CBDF (Código Brasileiro Disciplinar de Futebol). Caso seja punida, o clube pode perder de um a três mandos de campo.A defesa ponte-pretana se baseia em dados reais: não houve nenhum registro de um Boletim de Ocorrência por parte dos árbitros. Portanto, não há como identificar os eventuais agressores. Segundo as acusações, os torcedores fariam parte da Torcida Jovem, maior organizada do clube.Esta pode ser a terceira punição do STJD à Ponte Preta somente neste Campeonato Brasileiro. O time de Campinas já havia perdido quatro pontos por usar de maneira irregular o volante Roberto no empate por 1 a 1 com o Internacional e na vitória de 1 a 0 sobre o Juventude, de Caxias do Sul.Vitória - Se por um lado a Ponte senta no banco dos réus, em breve os dirigentes acreditam ganhar três pontos no mesmo tribunal. Isso porque o STJD espera receber nesta terça-feira os documentos da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) que podem resultar na suspensão do Paysandu do Campeonato Brasileiro.O clube paraense seria punido por causa de atitude de seu presidente, Artur Tourinho, que assinou documentos de transferência de três atletas (Aldrovani, Júnior Amorim e Borges Neto), mesmo estando suspenso pelo STJD.O presidente do STJD, Luiz Zveiter, não quis comentar o fato de o Paysandu ter insistido em escalar os três jogadores na partida do fim de semana, em que derrotou a Ponte Preta por 3 a 2. Apenas disse que isso deve representar uma nova ação no STJD: a da Ponte requerendo os pontos do jogo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.