Ponte Preta tira lições da goleada

Mesmo contabilizando uma vertiginosa queda na tabela de classificação do Torneio Rio-São Paulo, a Ponte Preta pretende tirar como lição a derrota para o São Paulo, por 4 a 1, no Morumbi. O time perdeu a liderança e, agora, ocupa a sexta posição, sem contar o vexame pela goleada. O que o técnico Oswaldo Alvarez, o Vadão, não aceita são as críticas em cima do esquema ofensivo 4-3-3. Ele quase utilizou Alex Oliveira como terceiro zagueiro, mas no final optou pela manutenção de Lucas ao lado de Washington e Jean. "Tomamos dois gols de bola parada. Além disso, sofremos três gols em apenas 19 minutos, o que nos desestruturou." O técnico inocentou o esquema 4-3-3, mas admitiu que outras alternativas podem ser usadas nos próximos jogos, inclusive com o São Caetano, seu próximo adversário no Torneio Rio-São Paulo, domingo, em Campinas. Além da possibilidade da entrada de Alex Oliveira, existe também a chance da estréia do meia Caíco, contratado há duas semanas. Neste caso, o time atuaria no esquema 4-4-2. Mas ainda é muito cedo para definir o esquema a ser usado. A prioridade inicial é reanimar o grupo, que se abateu pela inesperada goleada no Morumbi. A Ponte Preta soma 13 pontos no Rio-São Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.