Ponte Preta vai usar o esquema 4-4-2

O técnico Nenê Santana, da Ponte Preta, preferiu manter o suspense em torno da escalação do time para o jogo decisivo contra o Brasiliense, neste domingo, no estádio Moisés Lucarelli, pela última rodada do Campeonato Brasileiro. Mas ele admite sua preferência pelo esquema 4-4-2, que será testado no coletivo programado para esta sexta-feira no gramado do Moisés Lucarelli. ?Não é porque eu gosto de jogar assim, mas porque os jogadores que tenho à disposição se encaixam bem nesta forma?, argumentou Santana, que orientou um treinamento tático à tarde, priorizando o passe e as jogadas pelas laterais. O técnico só lamentou a ausência do zagueiro Rafael Santos dos treinos com bola. Há 10 dias ele sente dores no joelho esquerdo, operado há três meses, apresentando falta de ritmo de jogo. O problema é encontrar um substituto para o veterano Galeano, suspenso, com três cartões amarelos. Thiago Matias está vetado e a última opção é Luís Carlos, que não joga há muito tempo. Rissut e Luciano Baiano brigam por uma vaga na lateral direita. Fora estas dúvidas, o time deve sofrer outras três novidades praticamente confirmadas: o meia Danilo e o meia-atacante Evando, que cumpriram suspensão automática, e o atacante Tico, recuperado de uma lesão muscular. Vão deixar o time o volante André Silva, suspenso, o meia Rafael Ueta e o atacante Izaías. A expectativa é de que o time seja definido nesta sexta e que evite o rebaixamento para a Série B. Com 48 pontos, em 18.º lugar, a Ponte Preta precisa, pelo menos, somar mais um ponto para superar os outros dois clubes ameaçados: Coritiba e São Caetano. Os 18 mil ingressos começaram a ser vendidos ao preço simbólico de R$ 3, mas a procura ainda foi pequena.

Agencia Estado,

01 de dezembro de 2005 | 19h15

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.