Ponte protesta contra a arbitragem

Líder do Campeonato Brasileiro há cinco rodadas, a Ponte Preta ficou revoltada com a arbitragem na derrota por 4 a 2 para o Botafogo, na noite de quarta-feira, no Rio. Na reapresentação dos jogadores, na tarde desta quinta, as reclamações eram gerais contra Wilson de Souza Mendonça, que apitou a partida.Na visão da Ponte, Wilson de Souza Mendonça foi o responsável direto pela derrota. Ele teria marcado um pênalti inexistente de Carlinhos sobre Caio e, na cobrança, após a defesa do goleiro Lauro, ele mandou voltar alegando invasão da área - aí, o Botafogo fez seu gol. E o time de Campinas ainda teve dois jogadores expulsos: o volante Éverton e o lateral-direito Rissut. Além disso, o volante Túlio pôde defender o Botafogo graças a um efeito suspensivo dado pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) apenas 5 horas antes do jogo. Ele tinha sido punido com 3 jogos de suspensão pela expulsão na partida contra o Palmeiras.Apesar de todas reclamações, a diretoria da Ponte não oficializará nenhum protesto junto à CBF. "Não adiante nada. Às vezes, é pior", afirmou o vice-presidente do clube, Marco Antônio Eberlin.Nesta sexta-feira, o técnico Vadão vai definir o time que enfrenta o Fluminense no domingo, às 18h10, em Campinas. Ele não terá Éverton, Rissut e o volante Carlinhos, todos suspensos. E, apesar de não confirmar, os substitutos devem ser Luciano Baiano, Luciano Santos e André Silva.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.