Ponte quebra tabus com goleada

A Ponte Preta goleou o Paysandu, por 3 a 0, nesta quarta-feira à noite, no estádio Moisés Lucarelli, em Campinas, chegando aos 57 pontos dentro do Campeonato Brasileiro. O time paraense continua com 46 pontos. A noite era mesmo do time campine iro, que quebrou uma série de tabus.A Ponte não vencia o Paysandu há 18 anos e há seis rodadas não faturava três pontos dentro do Brasileiro. Fez um gol após 413 minutos de jejum e também voltou a vencer em casa, depois de 69 dias. Sua última vítima no majestoso tinha sido o Flamengo, dia 18 de agosto, por 1 a 0. Além disso, entrou em campo como pior ataque, com 31 gols, mas seus atacantes desencantaram: Anselmo e Alecsandro marcaram seus primeiros gols.Para esquecer o passado, a Ponte começou num ritmo forte. Além disso, contou com a sorte ao marcar dois gols em apenas oito minutos. O primeiro saiu aos quatro minutos, quando Anselmo encheu o pé direito depois de tabelar com Alecsandro pegando frio o go leiro Paulo Musse. Mas aos oito minutos, o goleiro visitante deu uma forcinha ao soltar chute fraco de Flávio para a conclusão de Alecsandro: 2 a 0.A noite era mesmo da Macaca. No seu primeiro escanteio, ampliou o placar. Júlio César levantou com efeito, a defesa não cortou e Alecsandro subiu para enfiar a cabeça. Na terceira finalização da Ponte, o terceiro gol. Sorte de um lado, azar do outro. Na única chance do Papão, o lateral Maurinho cabeceou livre mas a bola acabou indo para fora, aos 37 minutos.No segundo tempo, o Paysandu tentou reagir. Voltou com Zé Augusto no lugar do atacante Balão e na base da pressão criou três boas chances em menos de cinco minutos. Mas encontrou a Ponte bem armada na marcação e que passou a esperar a chance de ampliar n o contra-ataque. Nada mudou.No final de semana, a Ponte Preta vai enfrentar o Vasco da Gama, domingo, em São Januário, sem o zagueiro Gustavo, suspenso com três cartões amarelos. O Paysandu tentará a reabilitação diante do Coritiba, sábado à tarde, em Belém, sem o atacante Balão qu e recebeu o terceiro cartão amarelo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.