Ponte quer reagir contra o Corinthians

Como clube mais antigo em atividade no Brasil, a Ponte Preta esperava comemorar sua fundação e seus 105 anos de vida, nesta quinta-feira, de maneira diferente. Mas o clima não era nada festivo pelos lados do Majestoso, que na véspera perdeu para o Palmeiras, por 2 a 1, acumulando três derrotas consecutivas dentro do Campeonato Brasileiro, onde já liderou por oito rodadas seguidas. A ordem é esquecer o passado e olhar para o futuro, focando para o jogo diante do Corinthians, domingo, às 16h, em Campinas. Para quem em sua história centenária já se acostumou a ressurgir das cinzas, não parece uma missão impossível. Ainda mais se forem consideradas as condições atuais do time que chega perto do final do turno entre os primeiros colocados, com 33 pontos. O técnico Zetti acredita que a recuperação virá já. "Porque nosso time jogou bem e perdeu por circunstâncias, como num pênalti inexistente marcado pelo juiz", justifica o técnico Zetti, que já tinha perdido para o Coritiba, por 3 a 0, em casa, na sua estréia. O técnico acha que seu trabalho nos próximos dias será de levantar o moral do grupo, que naturalmente se abateu com tantas derrotas. "Não tem esta história de cavalo paraguaio. Vamos voltar a vencer", garante o zagueiro Rafael Santos, um dos destaques do time na temporada. A comissão técnica retoma o trabalho com o elenco nesta sexta-feira em dois períodos. Pela manhã com um treino técnico e à tarde um tático, que deve confirmar apenas uma mudança: a entrada do volante Luciano Santos na vaga de Carlinhos, suspenso com três cartões amarelos. Nesta quinta-feira à noite, na sede social do clube, haverá um jantar comemorativo ao aniversário da Ponte Preta, que só conquistou o título paulista da Segunda Divisão, em 1969. Mas sua torcida ostenta com orgulho o fato de ser o time de futebol mais velho do Brasil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.