Bruno Haddad/Cruzeiro
Bruno Haddad/Cruzeiro

Ponte receberá R$ 1 mi por ida de Bruno Silva ao Cruzeiro e tem estádio liberado

Equipe ganha compensação por transferência; Moisés Lucarelli não está mais interditado, mas punição ao clube está mantida

Estadão Conteúdo

10 Janeiro 2018 | 19h26

Após um mês de negociações, a Ponte Preta confirmou nesta quarta-feira a transferência dos direitos econômicos do volante Bruno Silva para o Cruzeiro. Além disso, o time de Campinas (SP) teve o estádio Moisés Lucarelli liberado, uma vez que estava interditado desde a invasão no final de novembro, em confusão ocorrida no Campeonato Brasileiro.

+ Sem espaço, Claudinho é emprestado pela Ponte Preta para o Red Bull Brasil

De acordo com o comunicado oficial da Ponte Preta, a transação do volante custará R$ 1 milhão aos cofres do time mineiro, que já havia desembolsado R$ 4 milhões para contar com o jogador que estava no Botafogo. O acordo prevê a quitação até o próximo dia 25 e o dinheiro deve ser usado para pagar dívidas do clube de Campinas.

A Ponte Preta detinha 60% dos direitos econômicos de Bruno Silva e negociava com o Cruzeiro uma compensação financeira. Em um primeiro momento foram oferecidos jogadores para troca, mas a negociação não caminhou. Há seis dias, o time de Belo Horizonte anunciou a compra por R$ 1 milhão e marcou a apresentação do meia, mas os paulistas negaram prontamente nas redes sociais. A confirmação veio apenas nesta quarta-feira.

Mesmo com mais da metade dos direitos econômicos, a Ponte Preta não poderia travar a transação. Isso porque o direito federativo, que representa o contrato assinado entre jogador e clube, pertence ao Cruzeiro. Isso acontece porque em 2016, quando era vinculado ao time de Campinas, o meia assinou pré-contrato com o Botafogo e saiu sem custos para o Rio de Janeiro. Dois anos depois, renderá R$ 1 milhão à equipe campineira.

Desde que foi eleito, o presidente da Ponte Preta José Armando Abdalla prometeu transparência nas negociações. Rebaixado para a Série B do Campeonato Brasileiro, o clube perdeu peças importantes no time titular, como os atacantes Lucca e Emerson Sheik, e ainda tenta remontar o elenco do técnico Eduardo Baptista. Ainda assim, o dinheiro deve ser usado para quitar débitos, como prevê o comunicado oficial.

ESTÁDIO

O presidente do STJD, Ronaldo Botelho Piacente, comunicou a diretoria que o estádio Moisés Lucarelli está liberado para receber partidas de futebol. De acordo com o comunicado, diante do relatório recebido após a vistoria realizada na última terça-feira, a interdição não tem mais razão de ser e, portanto, o local já poderá ser utilizado normalmente no Campeonato Paulista.

As obras de reforço dos alambrados tiveram de ser realizadas em virtude da invasão de campo na partida entre Ponte Preta e Vitória, pelo Brasileirão. Apesar da interdição ter sido revogada, a equipe de Campinas foi punida com a realização de seis jogos com os portões fechados na Série B deste ano e multa de R$ 20 mil.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.