Denny Cesare/Código 19
Denny Cesare/Código 19

Ponte se reestrutura e já faz frente aos grandes de São Paulo

Clube tem folha salarial de R$ 1,8 milhão e costuma pagar em dia

Gonçalo Junior, O Estado de S.Paulo

13 de abril de 2017 | 06h50

Com uma folha salarial paga em dia de R$ 1,8 milhão, o que corresponde a um quinto da corintiana e da palmeirense, aproximadamente, a Ponte Preta ultrapassou o seu objetivo inicial de se firmar como a quinta força paulista, logo atrás dos quatro grandes.

A semifinal contra o Palmeiras é o momento de começar a perceber os resultados da reestruturação do clube. Depois de substituir grande parte da diretoria, a Ponte apostou em uma integração maior entre as categorias de base e o elenco profissional. Na vitória sobre o Santos, por exemplo, o time terminou o confronto com três jogadores da base.

A maior fonte de receita do clube continua sendo os direitos de transmissão da televisão, num total de R$ 31 milhões/ano, mas os patrocínios e ações de marketing vêm ganhando espaço nos últimos anos e já respondem por 25% das receitas totais.

O clube possui atualmente cinco patrocinadores (Caixa, Pilot, Schin Refrigerantes, AM4 e Minerva Foods) e um fornecedor de material esportivo (a Adidas). Prefere as grandes marcas aos parceiros pontuais, que estampam a maioria dos times do interior. “A Ponte tem baixo índice de rejeição e boa visibilidade. Nós vamos incomodar mais os grandes nos próximos anos”, diz Fabiana Fontini, coordenadora de marketing.

O departamento não divulga valores dos contratos, mas o Estado apurou que Santos e São Paulo procuraram um dos patrocinadores da Ponte para oferecer espaço na camisa pelos mesmos valores pagos ao time de Campinas. O parceiro preferiu continuar com a Ponte.

A imagem institucional do clube de Campinas vem sendo construída com bom humor nas redes sociais. A contratação do volante Fernando Bob, por exemplo, foi anunciada com referências ao desenho animado ‘O Fantástico Mundo de Bob.’

Segundo pesquisa do Ibope Repucom, a Ponte Preta teve crescimento de 15% em suas redes sociais desde novembro. Proporcionalmente, é um incremento maior do que tiveram Corinthians, São Paulo, Palmeiras e Santos. Entre os clubes da Série A do Campeonato Brasileiro, que começa em maio, a Ponte só fica atrás de Chapecoense. Hoje, o time possui cerca de 500 mil seguidores nas redes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.