Ponte se salva com vitória em casa

Num jogo emocionante, a Ponte Preta venceu o Fortaleza por 2 a 0, neste domingo à tarde, no estádio Moisés Lucarelli. A vitória, comemorada como se fosse um título, derrubou um tabu de 154 dias sem ganhar em casa e, acima disso, garantiu a permanência do time de Campinas na primeira divisão do Campeonato Brasileiro, ao ficar com 50 pontos, em 21º lugar.O Fortaleza, em 23º lugar e com 49 pontos, está rebaixado um ano após seu acesso. Terminou com mesmo número de pontos do Paysandu, mas caiu pelo número de vitórias - 15 contra 12. Assim, se junta ao Bahia na Série B em 2004.Apoiada por sua entusiasmada torcida, que lotou o estádio, a Ponte começou bem o jogo, sufocando a saída de bola do adversário. O Fortaleza parecia um time assustado, tentando se proteger na defesa.Não demorou para a Ponte abrir o placar. Na primeira chance, aos três minutos, Lucas desperdiçou, chutando para fora após belo passe de Marquinhos. Mas na segunda vez, não teve erro. Ou melhor, a falha foi toda do goleiro Jéfferson, que saiu mal do gol, não interceptou o levantamento de Alan ao chocar-se com Lucas e a bola sobrou para o zagueiro Gerson fazer 1 a 0, aos 12 minutos.Em vantagem, a Ponte Preta recuou e não soube aproveitar a opção do contra-ataque. Já o Fortaleza abusou das jogadas aéreas.No intervalo, o goleiro Jéfferson alegou ter sofrido falta no lance do gol da Ponte. Avisado que as imagens da TV comprovavam a legalidade da jogada, ele não acreditou. "A imagem é do Sul", respondeu como se houvesse discriminação com o time nordestino do Fortaleza.No segundo tempo, o Fortaleza voltou mais ofensivo. Assim, criou sua melhor chance aos 22 minutos, quando Alexandre invadiu a área pelo lado direito e chutou de esquerda. A bola tocou na trave de Lauro e o rebote não foi aproveitado por Marcos Paulo.A resposta da Ponte foi rápida. Num contra-ataque, Gigena ajeitou a bola para Adrianinho, que chutou forte e rasteiro no canto direito do goleiro: 2 a 0, aos 25 minutos.Era o começa da festa no Moisés Lucarelli. O Fortaleza perdeu as forças para reagir, mas se atirou ao ataque e abriu espaço para os perigosos contra-ataques do time da casa. A vitória poderia ser mais ampla, mas nem precisava tanto para transformar Campinas num a festa ponte-pretana.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.