Ponte sofre mais 3 baixas na Justiça

A dificuldade financeira da Ponte Preta continua causando problemas trabalhistas no clube. Mais três jogadores abandonaram, nesta quinta-feira, o clube alegando falta de pagamento: o meio-campista Humberto; o lateral-esquerdo Wellington, de apenas 17 anos, e o atacante Roger. O meia Humberto é representado pelo advogado João Guilherme Maffia, o mesmo que já liberou, através de liminar, o zagueiro Alex Oliveira, que se transferiu para o Vasco da Gama no começo da temporada. O advogado também representa Dionísio, que nas mesmas condições foi defender o Vitória-BA. O caso de Wellington, que já tem em mãos uma liminar, chama atenção por ele ser apenas da categoria juvenil. Ano passado ele defendeu a seleção brasileira sub-16. Outro caso que também já foi parar na Justiça Trabalhista é do atacante Roger, de 19 anos. Desde o ano passado, a Ponte enfrenta problemas financeiros o que motivou a saída de uma verdadeira legião de jogadores do clube. Entre eles, estão o goleiro Hiran; o lateral Daniel, os zagueiro Alex e Marinho; o lateral-esquerdo Wellington; os volantes Fabinho, Mineiro, Dionísio, Izaias e Humberto; os meias Caíco, Wesley e Hernani; e o atacante Roger.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.