Ponte tenta manter o otimismo

Apesar da derrota por 1 a 0 da Ponte Preta para o Fortaleza, o técnico Nelsinho Baptista qualificou como positiva a partida da Ponte. "O time não se abateu com a desclassificação para o Botafogo. Contra o Fortaleza tivemos garra e suportamos a pressão. EmCampinas, faremos outra grande partida", disse Nelsinho. A Ponte Preta joga tudo na partida de volta contra o Fortaleza, porque caso perca, vai ter que entrar em férias. Neste jogo, aPonte não vai poder devolver a pressão que sofreu no jogo de ida.A partida de volta deve ser à tarde, devido à medida do governo de racionar energia. Com isso, o estádio Moisés Lucarelli nãodeve contar com a presença em grande número da torcida da Ponte Preta. Para esta partida, o treinador poderá contar o retorno do meia Piá, que cumpriu suspensão na partida do última quarta-feira. A Ponte reclamou da arbitragem do árbitro Márcio Rezende de Freitas. No gol do Fortaleza, a defesa da Ponte reclamou de impedimento do meia Clodoaldo. No final da partida, a equipe campineira fez o gol de empate com Delmer, mas o juiz marcou impedimento. Além disso, o artilheiro Washington reclamou de dois pênaltis que teria recebido. Washington não conseguiu furar o bloqueio do goleiro Maizena, número 1 do Fortaleza, que ainda não tomou nenhum gol pelaCopa do Brasil. Para passar para as semifinais, a Ponte precisa vencer o Fortaleza na próxima quarta-feira por dois gols de vantagem. Se o resultado for 1 a 0 para o time de Campinas, a decisão vai para os pênaltis.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.