Ponte terá interino contra Atlético-PR

Vivendo seu pior momento no Campeonato Brasileiro, a Ponte Preta enfrenta o Atlético-PR, nesta quarta-feira, às 19h30, no Estádio Moisés Lucarelli, em Campinas, na abertura do returno. O time será dirigido interinamente por Nenê Santana, após a demissão do técnico Zetti, confirmada nesta terça-feira pela manhã. Com 33 pontos, a Ponte fechou o primeiro turno em oitavo lugar. Uma posição razoável não fosse o fato de ter liderado por oito rodadas, mas perdido os últimos cinco jogos consecutivos. As quatro derrotas anteriores foram sob o comando de Zetti, demitido após uma reunião com a diretoria. "Ele já tinha deixado o cargo à disposição por três vezes. Na última conversa, segunda-feira à noite, resolvi aceitar e chegamos num acordo", explicou o vice-presidente de futebol, Marco Antônio Eberlin. Quem vai dirigir o time é o auxiliar técnico Nenê Santana, que também iniciou a série de derrotas, ao cair diante do Flamengo, no rio de Janeiro, por 1 a 0. "O momento é delicado, mas vamos voltar a ser um time guerreiro", prometeu. Os jogadores também juram que vão se empenhar mais, principalmente após a bronca tomada pela manha de Eberlin. Foram 20 minutos de uma conversa a portas fechadas nos vestiários. Do lado de se fora se ouvia gritos e reclamações. "Eles sabem como eu sou. Se as coisas não andam bem, eu cobro mesmo", confirmou o dirigente. Ele espera definir um técnico capaz de manter o trabalho ao nível de Oswaldo Alvarez, o Vadão, que se transferiu para o Verdy Tokyo, do Japão. Estevam Soares, ex-São Caetano, Vágner Benazzi, ex-Fortaleza. E Tite, ex-Atlético-MG são os mais cotados. O time também estará bastante modificado em relação ao que perdeu por 4 a 0 para o Brasiliense, devido vários problemas. Na defesa, o zagueiro Rafael Santos continua de fora devido uma lesão no joelho. Ele só deve voltar dentro de 30 dias e seu substitut o, Thiago Matias, vai cumprir suspensão automática por ter sido expulso. Luís Carlos vai entrar no meio da defesa, formando dupla com o veterano Galeano. Na lateral-direita Rissut sentiu o joelho direito e acabou vetado pelos médicos, o mesmo já tinha acontecido com o meia Danilo, com fortes dores musculares, vetado na segunda-feira. Na lateral entrará Luciano Santos, enquanto o meio de campo será reforçado pela entrada de outro volante: Carlinhos. No meio campo, havia a dúvida entre a manutenção de Evando ou a estréia de Vandinho. Acontece que Evandro pode se transferir para a Europa, o que desagradou a diretoria. "Estou com a cabeça neste jogo", garantiu ele. A Ponte já perdeu outros jogadores ti tulares: os atacantes Roger (São Paulo), Frontini (Santos) e Kahê (Borusia Mönchengladbach) e o meia Harison (União Leiria). Kahê participou de seu último jogo domingo e será substituído por Izaías. O time terá quatro volantes, porém, abandonará o esquem a 4-5-1 pelo ortodoxo 4-4-2. No Atlético-PR, os jogadores querem mostrar que podem jogar fora de casa o mesmo futebol que têm apresentado na Arena da Baixada, em Curitiba. O técnico Antônio Lopes enfrenta mais uma vez uma situação vivida desde o início do campeonato e não conseguirá repetir a formação anterior. Quatro jogadores não poderão atuar. O lateral Marcão e o meia André Rocha receberam o terceiro cartão amarelo, o lateral Jancarlos foi expulso e o meia Fabrício deve ficar cerca de dois meses recuperando-se de contusão. Em compensação, terminou a suspensão de quatro meses imposta pela Fifa contra o atacante Dênis Marques e ele estará no banco de reservas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.