Ponte traça planos para o Brasileiro

Eliminada do Campeonato Paulista da Série A1, após a derrota por 4 a 3 para o Paulista na prorrogação, sábado, em Jundiaí, a Ponte Preta começa a se programar com vistas ao Campeonato Brasileiro da Série A. A diretoria já confirmou a permanência do técnico Estevam Soares, além da saída de alguns jogadores e a chegada de outros. "Serão mudanças naturais. Alguns jogadores vão mesmo sair, mas outros vão chegar o mais rápido possível", garante o vice-presidente de Futebol, Marco Antônio Eberlin, que assumiu, junto com o presidente Sérgio Carnielli, a culpa pela tumultuada temporada de 2003, quando o clube enfrentou sérios problemas financeiros e que refletiram diretamente nas campanhas do time. "Acertamos a casa. Hoje os salários estão num padrão baixo para o futebol brasileiro, mas dentro da nossa realidade", completa o dirigente . Entre os que devem sair está o zagueiro Gabriel, de apenas 20 anos, a maior revelação do clube no momento. Ele já foi negociado com o empresário Juan Figer, que deve repassá-lo ao Palmeiras. Por causa disso, há um mês já foi contratado o zagueiro Gustavo, ex-Guarani, que só não atuou no Paulista porque não houve tempo para sua regularização. O segundo reforço também já está definido. É o meia Terrão, que disputou o Paulista pelo Juventus. Ano passado ele defendeu o Ituano, na Série C do Brasileiro, e antes o Nacional da capital. Mais calmo, um dia após a desclassificação, Estevam Soares elogiou o esforço do time em Jundiaí. "Só perdemos na prorrogação, sem contar que até os 25 minutos do segundo tempo a gente vencia por 2 a 0. Faltou um pouquinho de concentração", lamentou. O elenco se apresenta na terça-feira no Majestoso.

Agencia Estado,

21 de março de 2004 | 12h26

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.