Ponte vai em busca de dias melhores

Bem diferente das últimas edições, a Ponte Preta entra no Campeonato Brasileiro deste ano preocupada apenas em não ser rebaixada à Segunda Divisão. Sem dinheiro para fazer grandes contratações, o técnico Abel Braga está tendo que se virar com o que tem em mãos. "Acredito no empenho da diretoria que, mesmo sem dinheiro, está tentando montar uma equipe competitiva para a competição", explicou o treinador. Apesar da chegada de jogadores desconhecidos do torcedor, como o meia atacante Riva, do Vila Nova-MG, e o lateral-direito Mantena, da Inter-SP, a diretoria diz estar sendo difícil encontrar jogadores que se enquadrem na nova realidade financeira do clube. Justamente por causa desta nova situação, jogadores experientes, como o zagueiro Marinho, o goleiro Hiran e o meia Hernâni resolveram deixar o Majestoso. Com isso, coube a Piá e Elivélton a responsabilidade de comandar o time dentro de campo no Brasileirão. "Não sou de fugir da responsabilidade nunca. Esteja quem estiver em campo vou cobrar sempre, pois só assim conseguiremos as vitórias e o título das competições que estamos disputando", garante Piá. A má fase da Ponte Preta na temporada pôde ser vista no último Campeonato Paulista. Depois de um início ruim, onde conquistou apenas quatro pontos em seis jogos, o time teve que se sujeitar à disputa de um torneio para evitar o rebaixamento à segunda divisão. Pelo menos no primeiro semestre o sofrimento ainda terminou com um final feliz. Mas a promessa de dias melhores ainda está difícil de ser aceita pelos torcedores pontepretanos, que mais uma vez deverão sofrer na pele a dificuldade encontrada pelos jogadores dentro de campo. Time-base - Alexandre Negri; Luciano Baiano, Rodrigo, Gabriel e Ronildo; Roberto, Piá, Adrianinho e Elivélton; Fabrício Carvalho e Sérgio Alves. Técnico: Abel Braga.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.