Ponte vai jogar, mesmo inconformada

O clima, extremamente tenso, entre os torcedores ponte-pretanos provocou apreensão entre os jogadores, membros da comissão técnica e dirigentes da Ponte Preta. A maioria ainda se vê contrariada ao comentar o fato de ter que enfrentar o São Paulo, de novo, quarta-feira, às 21h45, no Majestoso, depois da vitória de 1 a 0 registrada no dia 2 de julho, pela décima rodada do Campeonato Brasileiro."É um absurdo, porque ninguém discutiu aquela vitória", afirma o técnico Estevam Soares. O time, na época, era dirigido por Osvaldo Alvarez, o Vadão, e o São Paulo veio a Campinas com um time misto, com apenas o goleiro Rogério Ceni de titular. "Eu peguei o pênalti e comemorei muito, mas não valeu nada", lembra o goleiro Lauro, que aos 36 minutos do segundo tempo defendeu uma penalidade máxima cobrada pelo goleiro adversário.O diretor de futebol, Ricardo Koyama, também está inconformado com a remarcação do jogo por parte do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) devido ao escândalo da arbitragem. "Ainda acho que o Ministério Público pode reverter esta situação, que é muito injusta para nosso time", comentou.À parte da polêmica, Estevam Soares tenta armar o time para segurar o São Paulo. O volante Ângelo que recebeu o terceiro cartão amarelo na derrota, de 2 a 1, para o São Caetano, domingo, poderá atuar porque tinha condições legais na ocasião do jogo. O contrário acontece com o lateral direito Rissut, que estava suspenso no dia do jogo. O zagueiro Preto, que cumpriu suspensão automática, poderá voltar na vaga de Thiago Matias, mas antes de definir o time o técnico vai esperar um parecer do departamento médico sobre o atacante Tico, que deve ser vetado com problemas na parte anterior da coxa direita. O lateral Luciano Baiano e o volante Everton já estão vetados. Os jogadores fizeram treinos leves à tarde no Centro de Treinamento do Jardim Eulina e farão um coletivo nesta terça-feira cedo em local ainda incerto. O Majestoso deve ser evitado, devido ao clima pesado que cerca este jogo que é de grande importância para a Ponte, que soma 41 pontos e caiu para a 12.ª posição. Além disso, vem de duas derrotas seguidas para o mesmo São Paulo, por 3 a 2, e para o São Caetano.

Agencia Estado,

17 de outubro de 2005 | 17h27

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.