Ponto eletrônico pode parar Paulistão

A diretoria do Santos entrará nesta quarta-feira com uma medida cautelar para suspender a realização do jogo final do Campeonato Paulista, entre Corinthians e Botafogo, marcado para domingo, no Morumbi, além de tentar a anulação do clássico em que foi derrotado pelo Corinthians por 2 a 1 e perdeu a chance de disputar o título. O motivo apresentado é o fato de dois jogadores corintianos terem usado ponto eletrônico na partida do último dia 13. Segundo o argumento santista, o artifício usado pelo técnico Wanderley Luxemburgo configura "doping eletrônico, que feriu a ética e a lisura da partida".O Santos decidiu recorrer ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva depois de ter recebido parecer da Fifa sobre o assunto. A entidade que comanda o futebol mundial considera ilegal a utilização do ponto eletrônico e sugere a anulação da partida. Os dirigentes santistas souberam do uso do equipamento pela televisão e aguardaram uma punição ao Corinthians por parte da Federação Paulista de Futebol e da sua Comissão Disciplinar Desportiva, o que acabou não ocorrendo. A partir daí, encaminharam consulta à Fifa e, de posse da resposta, decidiram entrar com a ação.Os advogados do Santos consideram o uso do ponto eletrônico uma "fraude", que "atenta contra a moral desportiva, denigre a prática do futebol, os direitos do consumidor/torcedor e rompe com o invólucro da lisura do resultado". O clube também avalia que o uso desse artifício mecânico proporcionou o gol de Ricardinho, aos 48 minutos do segundo tempo, que resultou na vitória corintiana.O Santos alega ter sofrido um prejuízo de R$ 4 milhões por ter ficado fora da final do Paulista. Os santistas querem a anulação do clássico do dia 13 e a marcação de outra partida entre os dois times. Além disso, pedem que o jogo final entre Cortinthians e Botafogo, marcado para domingo, seja suspenso até que o STJD tome uma decisão sobre o caso.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.