Divulgação/Sport do Recife
Divulgação/Sport do Recife

Por atraso de salários, volante vai à Justiça para rescindir contrato com o Sport

Jean Patrick está cobrando três meses de salários e direitos de imagens atrasados, e quatro meses referentes à falta de depósito do FGTS

Redação, O Estado de S.Paulo

08 de maio de 2020 | 14h34

No final da última temporada, o Sport travou uma briga com o Guarani para contratar o volante Jean Patrick, que vinha sendo um dos destaques do Cuiabá na disputa do Campeonato Brasileiro da Série B. Seis partidas e um gol depois, o meio-campista está pedindo na Justiça a sua rescisão contratual com o time pernambucano, alegando salários atrasados.

Cobrando três meses de salários e direitos de imagens atrasados, e quatro meses referentes à falta de depósito do FGTS, o volante entrou com uma ação na Justiça do Trabalho pedindo a rescisão de contrato indireta com o Sport, além da baixa no registro junto à Confederação Brasileira de Futebol (CBF) para que possa seguir a sua carreira.

O processo está tramitando na 14.ª Vara do Trabalho do Recife e tem como base o Artigo 483 da CLT, que prevê a rescisão contratual indireta após três meses de pagamentos atrasados. Em princípio, o pedido não foi acatado pela juíza do caso, que considerou necessária a produção de provas mais concretas para a formação do convencimento.

Além disso, uma audiência será marcada logo após o final da pandemia do novo coronavírus, já que elas estão suspensas neste período de quarentena. Não contente, a defesa do jogador entrou com uma nova solicitação na Justiça na tentativa da rescisão imediata, mas até o momento não houve resposta.

Questionado sobre o assunto, o Sport por meio de seu vice-presidente jurídico, Manoel Veloso, se limitou a dizer: "Não recebemos nada oficialmente. Nenhum outro jogador me comunicou sobre esses supostos atrasos. Queremos aqui no Sport quem quer lutar pela equipe. As portas da rua são a serventia da casa".

O jogador de 27 anos foi um dos destaques do Cuiabá no segundo semestre de 2019 - no primeiro defendeu o Novorizontino, em São Paulo -, com seis gols em 29 jogos. Ele ainda tem passagens por Ponte Preta, Fortaleza, Luverdense e Vasco, entre outros.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.