Flávio Japa/Estadão
Flávio Japa/Estadão

Por Bom Senso FC, adversários se abraçam antes dos jogos

Movimento pede uma reformulação no calendário brasileiro

Agência Estado

19 de outubro de 2013 | 18h46

SÃO PAULO - Como uma forma de promover uma "manifestação pacífica e organizada", os jogadores das equipes da Série A do Brasileirão estão realizando um abraço coletivo simbólico antes de cada uma das partidas desta 30.ª rodada, neste sábado. Os jogos de domingo também deverão ser palco deste manifesto em prol do Bom Senso FC. Na sexta, o Bom Senso FC, que reúne jogadores dos principais clubes de futebol do Brasil, já havia revelado que planejava fazer uma manifestação "pacífica e organizada" na rodada deste fim de semana, mas não havia sido revelado o que seria.

Já na primeira partida da rodada, entre Fluminense e Ponte Preta, no Maracanã, os jogadores dos dois times se abraçaram em roda, intercalando paulistas e cariocas. Depois, o mesmo foi visto no centro do gramado da Arena Pernambuco, antes de Náutico x Santos.

"A manifestação, feita de forma pacífica e organizada, será uma demonstração legítima para a opinião pública, para a imprensa, para os torcedores e, principalmente, para todas as demais entidades interessadas ou representativas do futebol nacional", explicou o Bom Senso, sexta, sobre o que faria neste sábado.

O Bom Senso foi criado no final de setembro, numa "mobilização espontânea dos jogadores profissionais, que não concordam com a forma como vêm sendo conduzidas as decisões do futebol brasileiro". A principal reivindicação do grupo é a melhoria do calendário de jogos, o que já foi discutido com a CBF.

Entre centenas integrantes, o Bom Senso reúne alguns dos principais jogadores do futebol brasileiro na atualidade, como Rogério Ceni (São Paulo), Paulo André (Corinthians), Seedorf (Botafogo), Dida (Grêmio), Juninho Pernambucano (Vasco), Alex (Coritiba), Fernando Prass (Palmeiras) e D''Alessandro (Inter).

Dizendo contar já com a adesão de 860 jogadores, os integrantes do Bom Senso avisam que "não abrem mão de serem ouvidos e que pretendem se expressar diretamente, sem intermediários". E também avaliam como "muito positivas" as discussões que começaram a ser feitas sobre o futebol brasileiro.

Na última quinta-feira, inclusive, representantes dos principais clubes brasileiros tiveram uma reunião na CBF para discutir a adoção do fair play financeiro (que prevê punição para quem tiver dívidas salariais) e também admitiram rever o calendário, duas medidas defendidas pelo Bom Senso.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolBrasileirãoBom Senso FC

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.