Nilton Fukuda/Estadão
Nilton Fukuda/Estadão

Por causa dos atrasos na Arena da Baixada, Marin admite Plano B da Fifa

Mesmo não revelando opções, presidente da CBF demonstra confiança nas obras do estádio para a Copa

O Estado de S. Paulo

22 de janeiro de 2014 | 15h32

NATAL - Os atrasos nas obras da Arena da Baixada causam preocupação aos organizadores da Copa do Mundo. Em entrevista coletiva na Federação de Futebol do Rio Grande do Norte, o presidente da CBF, José Maria Marin, admitiu nesta quarta-feira, que o estádio de Curitiba pode mesmo ficar fora do torneio.

Após as declarações do secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, dando um ultimato em relação ao adiantamento das obras até 18 de fevereiro, o presidente da CBF reconheceu que a Arena da Baixada tem chances reais de ser excluída da Copa. "A situação é difícil. Nesse sentido, acredito que os responsáveis pela construção precisam recuperar o tempo perdido ou, pela primeira vez, esteja sendo estudado pela Fifa um plano B. Foi dado um sinal amarelo grande", admitiu Marin.

Além de não informar as opções que a Fifa cogita, Marin demonstrou confiança na entrega do estádio dentro do prazo. "As nossas empresas têm uma capacidade grande, com prestígio e obras no exterior, para conseguir finalizar os projetos. Em minha primeira reunião na Fifa, Recife estava fora da Copa das Confederações. Naquela ocasião, a construtora triplicou o número de trabalhadores e o estádio ficou pronto", referindo-se à Arena Pernambuco, que ficou pronta somente em abril do ano passado.

Faltando menos de seis meses para o início da Copa do Mundo, a Arena da Baixada tem apenas 88% de suas obras concluídas. Caso não consiga adiantar parte de suas obras até o próximo dia 18, os quatro jogos da primeira fase, entre os dias 16 e 26 de junho, poderão ser realizados em outro lugar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.