Elisabetta Baracchi/EFE
Elisabetta Baracchi/EFE

Por dívidas, lanterna Parma perde um ponto no Campeonato Italiano

Além de suspender o presidente Tommaso Ghirardi e o executivo Pietro Leonardi, time e dirigentes são multados em R$ 16 mil cada

Estadão Conteúdo

09 de dezembro de 2014 | 11h41

Não bastasse o péssimo momento em campo, a crise fora das quatro linhas afundou ainda mais o Parma no Campeonato Italiano. Lanterna da competição, o clube foi punido com a perda de um dos seus seis pontos conquistados até agora pela Federação Italiana de Futebol (FIGC) por conta de dívidas, fruto da grave dificuldade financeira em que se encontra.

A entidade anunciou a punição nesta terça-feira. Além disso, suspendeu o presidente do Parma, Tommaso Ghirardi, e o principal executivo do clube, Pietro Leonardi, de qualquer atividade ligada ao Campeonato Italiano por dois meses. O time e os dois dirigentes ainda foram multados em 5 mil euros (R$ 16 mil) cada.

A instabilidade do clube ficou clara depois que ele falhou em cumprir o prazo estipulado para o pagamento de salários atrasados de novembro e dezembro do ano passado. Com isso, o próprio Parma já admitia ser punido com a perda de pontos. "Infelizmente, nós vamos ter que lidar com uma certa penalização de pontos, que o clube vai tentar reduzir a um mínimo em todos os níveis de apelação", afirmou em nota oficial no mês passado.

No domingo, Leonardi revelou ter chegado a um acordo para vender o Parma a um conglomerado russo-cipriota por cerca de 7 milhões de euros (R$ 22,5 milhões). O executivo explicou que "houve um acordo", mas ressaltou que a venda ainda precisa ser "formalizada" entre as partes envolvidas.

Em meio a esta grave crise, o Parma segue sofrendo em campo e o rebaixamento à segunda divisão parece iminente. Com a penalização, a equipe caiu para apenas cinco pontos em 14 rodadas, três atrás do Cesena, penúltimo colocado, e oito atrás do Torino, primeiro time fora da zona de rebaixamento.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.