Luca Bruno/ AP
Luca Bruno/ AP

Por 'heroísmo' em livro, 'ultras' da Inter pedem que Icardi deixe de ser capitão

Torcedores interistas criticam episódio relatado pelo atacante em autobiografia

O Estado de S.Paulo

16 Outubro 2016 | 13h43

Capitão da Inter de Milão desde o início da temporada passada, o atacante argentino Mauro Icardi vê seu "comando" ameaçado devido à polêmica gerada com a principal organizada do clube após o lançamento de sua autobiografia. 

No livro "Sempre Avanti - Minha história secreta", o jogador de 23 anos relata que foi tratado como herói pelos seus companheiros após discutir com um grupo de "ultras", como são chamados os uniformizados na Europa, na derrota por 3 a 1 para o Sassuolo, fora de casa, em 1º de fevereiro de 2015. 

Na ocasião, quando se aproximou do setor visitante do estádio Città del Tricolore, Icardi viu um garoto na grade pedindo uma camisa. "Considerando a idade dele, poderia ser meu filho: tiro minha camisa e meu calção e jogo para ele, como um presente. Ele está no céu e fico feliz em vê-lo daquele jeito."

No entanto, "um chefe dos ultras pula no menino para tomá-lo a camisa e a joga de volta para mim. Aí é quando eu começo a insultá-lo: 'Seu pedaço de m..., você está agindo arrogante com uma criança para se mostrar para o resto da Curva? Você se acha durão?'". De acordo com o livro, Icardi ainda teria dito na discussão: "Quantos são: 50, 100, 200? Trago cem criminosos da Argentina que os matam ali mesmo"

RÉPLICA DA CURVA NORD

Neste domingo, horas antes da partida diante do Cagliari, no San Siro, a Curva Nord soltou uma nota pedindo que o atacante deixe de ser o capitão do clube. "Icardi, por mais que estejamos preocupados, você está acabado. Por que tal ficção? Estamos horrorizados, aquele livro é ridículo e, quanto ao incidente, há somente mentiras", afirmou o grupo. 

"Não há mais desculpas. Nós considerávamos você jovem, um pouco idiota (como muitos), mas bem no fundo, um bom garoto. No entanto, é uma pessoa que não pode ser autorizada a usar a faixa de capitão. Não é por nós, mas a Inter simplesmente não merece isso. Você está terminado para nós. Você está acabado. Tire a faixa de capitão, seu palhaço! Sim, é isso que pedimos", concluiu a Curva Nord. 

Além do texto, os ultras não deixaram o atacante em paz neste domingo. Em setores do estádio em Milão foram expostas faixas em protesto ao argentino. "Usa uma criança para justificar a si mesmo e nos jogar lama na cara. Você não é homem ... Você não é capitão ... Você é apenas um covarde", exibia uma delas. Inclusive, quando Icardi perdeu uma cobrança de pênalti no primeiro tempo, aplausos foram ouvidas no San Siro. 

TRÉPLICA DE ICARDI

Ainda nesta manhã, Icardi divulgou mais um texto, agora em uma rede social, com tom mais brando: "Estou decepcionado pelo caos que foi causado. Simplesmente dei minha visão daquele momento. Se tivesse um pouco de consciência no crânio, certamente não arriscaria ofender a Curva. Não quis ofender ou desrespeitar ninguém"

"A faixa de capitão representa a realização de um sonho de criança, a alegria que eu dei primeiro para minha família e, depois, para mim. Vocês são aqueles para quem olho todo domingo após marcar um gol, é o abraço de vocês que eu procuro primeiro, porque amo a Inter", acrescentou. 

E terminou pedindo "apenas uma coisa: fiquem perto da Inter, como sempre têm feito, porque meus companheiros e eu precisamos de vocês". 

 

 

Cara Curva Nord, sono sorpreso e dispiaciuto. Sorpreso perché relativamente all'episodio di Reggio Emilia ho semplicemente riferito di come, complice l'adrenalina post-partita ed il cattivo momento che stava attraversando la squadra, "a caldo" ho perso la testa. Volevo semplicemente rendere l'atmosfera di quell'episodio. Tanto è vero che nel libro ho aggiunto che avevo sputato fuori frasi esagerate (ed il verbo sputare già rende l'idea di quanto inopportuna fosse stata la mia reazione). Riguardo al discorso degli assassini dall'Argentina, siccome da più parti mi continuavano a ripetere che mi sarei ritrovato degli esagitati sotto casa (nota bene: non la Curva Nord, degli esagitati) ho pronunciato quella frase: ma nella biografia ho anche detto "avevo usato parole minacciose contro la tifoseria e non avrei dovuto farlo". Sono dispiaciuto. Dispiaciuto per questo polverone che si è creato, Ho semplicemente raccontato un episodio seguendo i miei ricordi. Oltretutto se uno avesse un minimo di sale in zucca non rischierebbe di offendere la propria curva, strategicamente se fossi stato in mala fede avrei usato parole accattivanti nei vostri confronti. Non l'ho fatto perché nessuno voleva offendere o mancare di rispetto a nessuno. La fascia da capitano rappresenta la realizzazione dei miei sogni di bambino, la gioia che ho donato prima di tutto alla mia famiglia e poi a me stesso. Siete Voi che io cerco ogni domenica appena faccio gol, è il Vostro abbraccio che io cerco per primo. perché io amo l'Inter. Fra pochissimo scendero' in campo quindi non posso più dilungarmi. Spero che avrete compreso quanto importanti siete per me e quanta stima e quanto Amore nutra per Voi anche se deciderete di fischiarmi. Vi chiedo solo una cosa da Capitano: state vicini all'Inter come avete sempre fatto, io e i miei compagni abbiamo bisogno di Voi. Con affetto Mauro ⚫️⚫️

Uma foto publicada por Mauro Icardi (@mauroicardi) em

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.