Charles Platiau/Reuters
Charles Platiau/Reuters

Por insultos à arbitragem, Neymar é suspenso por três jogos da Liga dos Campeões

Atacante terá de cumprir a pena na próxima edição do torneio por críticas escritas nas redes sociais

Redação, Estadão Conteúdo

26 de abril de 2019 | 13h42

Os insultos à arbitragem da partida na qual o Manchester United venceu o Paris Saint-Germain por 3 a 1, em Paris, e avançou às quartas de final da Liga dos Campeões da Europa causaram uma punição pesada ao brasileiro Neymar. Nesta sexta-feira, a Comissão Disciplinar da Uefa suspendeu o atacante do PSG por três partidas da competição continental.

Após a derrota para os ingleses, Neymar, que não jogou por estar lesionado, foi ao Instagram criticar os árbitros, principalmente o VAR (árbitro de vídeo). "Isso é uma vergonha! Ainda colocam quatro caras que não entendem de futebol pra ficar olhando lance em câmera lenta. Isso não existe! Como o cara vai colocar a mão de costas? Ah vá pá [sic] pqp", escreveu na ocasião.

A reclamação de Neymar foi no pênalti assinalado contra o Paris Saint-Germain por um toque de mão Kimpembe na área. Após o VAR rever o lance, a penalidade foi confirmada. O clube francês, que havia vencido o primeiro jogo em Manchester por 2 a 0, acabou eliminado ao perder em casa por 3 a 1, ainda nas oitavas de final.

Com a suspensão, o brasileiro vai perder os três primeiros jogos da fase de grupos da próxima edição da Liga dos Campeões. O Paris Saint-Germain já está garantido na competição por ter conquistado o título do Campeonato Francês desta temporada.

Recuperado da lesão no quinto metatarso do pé direito, sofrida em janeiro em um jogo da Copa da França contra o Strasbourg, Neymar voltou aos campos no último domingo, quando o Paris Saint-Germain derrotou o Monaco, em Paris, e se tornou campeão francês com antecipação. Ele voltará a ser titular neste domingo contra o Rennes, no Stade de France, na final da mesma Copa da França.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.