Cesar Greco/Divulgação<br>
Cesar Greco/Divulgação

'Por mim, jogo em nossa nova casa', diz Marcelo Oliveira, do Palmeiras

Volante revela ter certeza que a torcida vai apoiar o time da melhor forma possível contra o Atlético-PR: 'Não penso que vamos perder'

CIRO CAMPOS, O Estado de S. Paulo

02 de dezembro de 2014 | 12h01

O Palmeiras ainda não tem a definição do local do jogo contra o Atlético-PR, no próximo domingo, pelo Brasileirão. A partida pode ser marcada para o Pacaembu ou para o novo estádio do clube, o Allianz Parque, como deseja o volante Marcelo Oliveira. Para o jogador, o mais importante é não pensar no risco de possíveis depredações em caso de rebaixamento para a Série B, mas sim pensar no apoio que a torcida pode trazer.

"Por mim eu jogo no Allianz Parque. Sei que a torcida vai estar nos apoiando. Não vou pensar em risco de invasão e de violência, porque eu não estou pensando que vamos perder", disse em entrevista coletiva nesta terça-feira. O Ministério Público de São Paulo chegou a pedir para o local da partida ser transferida por temer invasões de campo de torcedores caso a rodada confirme o rebaixamento do Palmeiras. Para isso acontecer, o time tem que tropeçar diante do Atlético-PR e o Vitória ganhar do Santos em Salvador.

Até agora o Palmeiras fez apenas um jogo no novo estádio. Na estreia, perdeu por 2 a 0 para o Sport e deixou o campo sob vaias da torcida. A preocupação com reações agressivas da torcida se dá também pelo ocorrido com o Coritiba, em 2009. O time paranaense, que também comemorava o centenário naquele ano, teve o rebaixamento confirmado em pleno Couto Pereira ao empatar em 1 a 1 com o Fluminense. Após o jogo, a torcida invadiu o gramado e agrediu policiais.

O elenco palmeirense se reapresentou na manhã desta terça-feira em atividade fechada à imprensa. No dia anterior os jogadores ganharam folga. Segundo Marcelo Oliveira, o ambiente no clube é tenso, mas com muita confiança. "Tenho certeza que pelo trabalho que está sendo feito, a semana que começou, a vontade e o clima, nós vamos fazer de tudo para vencer o jogo. Não vou afirmar que vamos ganhar até para respeitar o adversário, mas estamos confiantes", disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.