Sang Tan/AP
Sang Tan/AP

Por ofensas racistas, FA suspende Terry por 4 jogos

Capitão do Chelsea ainda pode recorrer da punição por discriminação a jogador negro no ano passado

AE, Agência Estado

27 de setembro de 2012 | 11h53

LONDRES - A Associação de Futebol da Inglaterra (FA, na sigla em inglês) anunciou nesta quinta-feira a suspensão do zagueiro John Terry por quatro partidas. Ele foi considerado culpado pelas acusações de ofensas racistas a Anton Ferdinand, do Queens Park Rangers, durante partida entre as duas equipes em outubro do ano passado, pelo Campeonato Inglês. O jogador do Chelsea ainda pode entrar com recurso.

Terry foi ouvido pela entidade nos últimos dias e alegou que disse a palavra "negro" a Ferdinand para questionar a acusação e não para ofendê-lo. O zagueiro ainda argumentou que seu trabalho de assistência social, realizado em parceria com os ex-companheiros de time Marcel Desailly e Didier Drogba, ambos negros, mostra que a acusação racista não tem fundamento.

Tais explicações haviam sido suficientes para que a justiça inglesa considerasse o jogador inocente, em julgamento ocorrido em julho. Na época, o juiz Howard Riddle, que conduziu o caso, explicou que seria "altamente improvável que Ferdinand acusou Terry no campo o chamando de preto (no sentido de palavrão)", mas que as provas contra o zagueiro do Chelsea "não foram fortes" o suficiente.

Este, no entanto, não foi o entendimento da FA, que, após ouvir ambos os lados, considerou que Terry "usou de palavras e/ou comportamentos abusivos e/ou insultantes com o jogador do Queens Park Rangers Anton Ferdinand, referindo-se à sua cor e/ou raça". Por isso, o zagueiro desfalcará o Chelsea pelas próximas quatro partidas locais - a punição não vale para jogos da Liga dos Campeões - e ainda terá que pagar uma multa de 220 libras (cerca de R$725 mil).

Logo após o anúncio da decisão, a assessoria do jogador disse que ele está cogitando entrar com uma apelação. "O senhor Terry está desapontado que a FA tenha chegado a uma conclusão diferente da clara absolvição do tribunal de justiça", explicou, em comunicado. "Ele (Terry) pediu as razões detalhadas da decisão e vai considerá-las cuidadosamente antes de decidir entrar com uma apelação".

Antes mesmo de ser considerado culpado, Terry sofreu com a repercussão do caso. Logo após ser acusado, ele perdeu a tarja de capitão da seleção inglesa, o que acabou culminando no pedido de demissão do técnico Fabio Capello, que foi contrário à decisão. Na última semana, o zagueiro anunciou que estava se aposentando da seleção. "Estou fazendo este anúncio por conta do inquérito disciplinar da FA, porque sinto que a FA, ao insistir em fazer acusações contra mim mesmo após ter sido inocentado na justiça, tornou minha posição na seleção insustentável", explicou, na época.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolFAChelseaJohn Terry

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.