Bae Jae-man / AP Photo
Bae Jae-man / AP Photo

Por paz, presidente sul-coreano propõe Copa de 2030 nas Coreias e na região

Vizinha dos dois países, China também tem interesse em sediar Mundial

Estadão Conteúdo

12 de junho de 2017 | 10h42

O novo presidente da Coreia do Sul propôs que o seu país apresente uma candidatura com a vizinha Coreia do Norte e outros países do nordeste da Ásia como parte dos esforços para promover a paz na região, revelou o seu escritório nesta segunda-feira.

Moon Jae-in fez a sua proposta durante um encontro com o presidente da Fifa, Gianni Infantino, na residência oficial do presidente en Seul, explicou o seu escritório em um comunicado oficial.

"Se países vizinhos do nordeste da Ásia, incluindo as Coreias do Sul e do Norte, pudessem sediar a Copa do Mundo, acho que isso contribuiria para a paz entre a Coreia do Sul e do Norte e na região do nordeste asiático", disse Moon a Infantino, de acordo com o escritório presidencial. "Eu gostaria que o presidente Infantino tivesse interesse sobre este assunto."

Infantino foi citado dizendo que conversará sobre o tema com o presidente chinês Xi Jinping quando se encontrarem nesta semana - a China já manifestou interesse em organizar a Copa do Mundo de 2030.

Desde que assumiu o cargo no mês passado, Moon tem procurado expandir os intercâmbios como forma de diminuir a tensão com a Coreia do Norte, especialmente por causa do seu programa nuclear. Mas o país vizinho realizou alguns testes recentemente, demonstrando a sua determinação de continuar com seu programa de desenvolvimento de armas.

Além disso, os organizadores da Olimpíada de Inverno de 2018, em Pyeongchang, na Coreia do Sul, esperam que a Coreia do Norte participe do evento.

As Coreias estão divididas por uma zona desmilitarizada após uma guerra que durou entre 1950 a 1953 e terminou com um armistício, não um tratado de paz. Tecnicamente, portanto, os países ainda estão em guerra.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCoreia do NorteCopa do Mundo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.