Divulgação|Ponte Preta
Divulgação|Ponte Preta

Por Pottker, Corinthians emprestou dois jogadores de graça para a Ponte

Yago e Lucca foram para o time de Campinas para facilitar chegada do atacante

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

09 Fevereiro 2017 | 07h01

A diretoria do Corinthians tentou minimizar, mas ficou irritada com a postura dos dirigentes da Ponte Preta por causa da negociação com o atacante William Pottker. Os corintianos emprestaram de graça o zagueiro Yago e o atacante Lucca como parte do acordo, mas acabaram desistindo do negócio após o artilheiro da Ponte ser utilizado na Copa do Brasil.

O diretor de futebol do Corinthians, Flávio Adauto, nega que os empréstimos tenham ligação com a ida de Pottker. Na teoria, realmente foram negociações independentes, mas o Estado apurou que  o acordo entre os clubes era de que o Corinthians pagaria R$ 7 milhões para a Ponte e ainda emprestaria Yago e Lucca para ter Pottker. 

"Não houve traição de lado nenhum. Havia um acordo a respeito de Campeonato Paulista. Aceitávamos a negociação com isso, sobre o futuro, não havia sido discutido. Dissemos que não interessaria a negociação caso ele fosse a campo na Copa do Brasil", explicou Flávio Adauto, tentando minimizar o assunto.

A Ponte chegou a fazer jogo duro, mas após Pottker pedir para sair, o clube cedeu e aceitou negociá-lo, mas os clubes não chegaram a firmar um contrato. O acordo foi verbal e o combinado era de que ele se apresentaria após o término do Campeonato Paulista.

O curioso, porém, é que a Ponte decidiu escalá-lo na Copa do Brasil e como o regulamento da competição determina que um atleta não possa atuar por mais de uma agremiação no mesmo torneio, ele não poderia defender o Corinthians na competição. 

Mais do que a impossibilidade de contar com Pottker, o que irritou a diretoria corintiana foi o fato da Ponte escalar o jogador sem consultá-los. No fim, a equipe de Campinas continua, por enquanto, com o jogador e ainda terá Lucca e Yago para ser utilizado ao longo da temporada. O Corinthians não pretende voltar a negociar com o jogador. 

Mais conteúdo sobre:
Corinthians Futebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.