Por salário, atletas do América de Cali ameaçam greve

Os jogadores do América de Cali ameaçaram nesta sexta-feira de não jogarem pelo clube, no próximo fim de semana, na estreia no Campeonato Colombiano, caso não recebam o salário que está atrasado. O elenco também pediu a intervenção do Ministério de Proteção Social para que a agremiação cumpra com as suas obrigações.

AE-AP, Agência Estado

11 de junho de 2010 | 13h03

Se a situação permanecer, os jogadores não irão mais aos treinamentos e começarão a procurar outros clubes para atuarem. "Necessitamos de uma solução para poder trabalhar. É urgente o pagamento de alguns meses, pois nós não aguentamos mais", desabafou o jogador Jorge Banguero.

Quatro vezes vice-campeão da Copa Libertadores, o América de Cali, além de passar por uma crise econômica, também enfrenta problemas administrativos. Durante anos, a agremiação foi controlada pelos irmãos Gilberto e Miguel Rodriguez Orejuela, que hoje cumprem pena nos Estados Unidos por terem se envolvido no narcotráfico. Agora, a empresa Nueva America de Cali S.A., criada pelo prefeito da cidade colombiana para impedir o desaparecimento do clube, procura ficar legal judicialmente para gerenciar o time.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolColômbiaAmérica de Cali

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.