Alexandre Vidal/Flamengo
Alexandre Vidal/Flamengo

Por segurança, Fla x Grêmio terá área isolada ampliada em torno do Maracanã

Apenas torcedores com ingressos e moradores com comprovantes de residência poderão penetrar no espaço protegido

Fábio Grellet, Estadão Conteúdo

22 de outubro de 2019 | 19h51

Considerado de alto risco, o jogo Flamengo entre Grêmio será protegido por um cinturão de ruas interditadas maior do que em partidas anteriores, nos arredores do Maracanã, local da partida válida pela volta da semifinal da Copa Libertadores, na noite desta quarta-feira. Apenas torcedores com ingressos e moradores com comprovantes de residência poderão penetrar na área isolada e protegida por mais de mil agentes de segurança.

O objetivo é evitar invasões, conflitos e confusões, como os ocorridos em 2017, no confronto entre Flamengo e Independiente, pela final da Copa Sul-Americana, também no Maracanã.

A partir das 18h, trechos de nove vias serão fechados ao trânsito - em jogos anteriores deste ano foram em média seis. Táxis e vans também serão barrados. Veículos estacionados irregularmente serão rebocados. O fluxo do trânsito nos arredores do estádio será controlado por 145 pessoas, entre agentes de trânsito e guardas municipais. Eles vão usar dez veículos operacionais e 20 motos.

O bloqueio de trânsito acontecerá nas ruas Eurico Rabelo (entre a Avenida Professor Manoel de Abreu e a Avenida Maracanã); Visconde de Itamarati (entre a Rua Eurico Rabelo e a Rua São Francisco Xavier); Isidro de Figueiredo, Conselheiro Olegário, Artur Menezes; Avenida Professor Manoel de Abreu (sentido Avenida Presidente Castelo Branco - também conhecida como Radial Oeste-entre a Rua Dona Zulmira e a Avenida Presidente Castelo Branco); Avenida Maracanã (em ambos os sentidos, entre a Rua São Francisco Xavier a Rua Mata Machado); Viaduto Oduvaldo Cozzi (nos acessos à Avenida Maracanã); e na Avenida Presidente Castelo Branco (no sentido centro, no trecho entre a Rua São Francisco Xavier e a Rua General Canabarro).

A melhor forma de chegar ao estádio é por transporte público. O metrô vai ampliar o número de trens em circulação e vai estender o horário de funcionamento. Normalmente as estações fecham à meia-noite, mas nesta quarta o serviço vai funcionar até à uma hora depois do fim do jogo. Se a partida terminar às 23h45, por exemplo, os trens vão circular até à 0h45. Mas só as estações Maracanã e São Cristóvão ficarão abertas para embarque. Todas as demais funcionarão apenas para desembarque.

Já os ônibus do sistema Metrô na Superfície (Botafogo-Gávea e Antero de Quental-Gávea) funcionarão até a chegada do último trem nestas estações.

A Supervia (concessionária responsável pelos trens metropolitanos) também vai oferecer transporte extra. Após o fim do jogo serão ofertadas seis viagens extras, o que significa 12 mil lugares para quem partir da estação Maracanã. Serão duas para Japeri, duas para Santa Cruz e duas para Saracuruna. O ramal Deodoro será atendido pelos trens dos ramais Santa Cruz e Japeri.

O policiamento no entorno do estádio ficará a cargo de 800 policiais militares e 300 guardas municipais. Os agentes vão se distribuir entre os vários bloqueios montados nos arredores do Maracanã.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.