Paulo Pinto/ São Paulo
Paulo Pinto/ São Paulo

Por segurança, São Paulo nega pedido da torcida para abrir treino

Clube teme por encontro com torcedores do Palmeiras na véspera do Choque-Rei e mantém atividade fechada no CT

Renan Cacioli, O Estado de S. Paulo

03 Outubro 2018 | 15h17

A diretoria do São Paulo  decidiu negar o pedido feito por uma torcida organizada do clube para que o treino de sexta-feira, véspera do clássico contra o Palmeiras, seja aberto. O clube alega motivos de segurança, pois teme por um encontro entre torcedores das duas camisas nos arredores do CT da Barra Funda.

Vale lembrar que os rivais são vizinhos de muro na Avenida Marquês de São Vicente, zona oeste da capital paulista. A Independente, principal torcida organizada do São Paulo, já prometera marcar presença no local para apoiar a equipe antes mesmo de o clube decidir se abriria ou não os portões do CT. Agora, a atividade permanecerá fechada inclusive para a presença dos jornalistas. 

Havia a expectativa até sobre uma possível transferência do local da atividade de sexta para o Morumbi. Neste ano, os rivais tricolores já recorreram ao mesmo expediente antes de partidas decisivas. O Palmeiras, por exemplo, fez um treino aberto para mais de 30 mil fãs no Allianz Parque no dia anterior à final do Campeonato Paulista, em abril, que acabou perdendo para o Corinthians. Este, por sua vez, levou 38 mil torcedores à sua arena no último dia 25, antes da semifinal da Copa do Brasil contra o Flamengo.

Terceiro colocado do Campeonato Brasileiro, com 52 pontos, o time de Diego Aguirre se encontra a um de distância para o de Felipão, que lidera, seguido pelo Internacional, dono da mesma pontuação, mas em inferioridade na tabela por conta do saldo de gols. O Choque-Rei começa às 18h de sábado, no Morumbi.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.