JF Diorio/Estadão
JF Diorio/Estadão

Por segurança, torcedores do São Paulo não poderão fazer festa aos jogadores

Polícia Militar informou que isolará a área em frente ao Morumbi no momento da chegada dos ônibus das equipes

João Prata e Paulo Favero, O Estado de S.Paulo

14 de abril de 2019 | 04h30

Os torcedores do São Paulo que chegarem mais cedo para assistir à final do Campeonato Paulista não poderão recepcionar o ônibus do clube, como de costume. A Polícia Militar irá isolar a área em frente ao estádio no momento em que as delegações se aproximarem do estádio.

“É um planejamento que sempre adotamos em clássico e em finais. Fica combinado com os torcedores e eles vão respeitar. É um padrão de isolamento”, destacou ao Estado o Major Ricardo Xavier, responsável pela segurança nos estádios.

A PM não divulgou o número de policiais que estará presente nas imediações, mas haverá o Batalhão de Choque, segurança aérea, a cavalo, policiais de trânsito e também descaracterizados. "Estaremos em todas essas frentes para coibir qualquer tipo de violência", disse.

O Major comentou sobre o caso de violência do ano passado, quando o ônibus do Corinthians foi apedrejado na chegada ao Morumbi. "Foi um ato isolado, de um torcedor que estava no barranco e atirou a pedra."

O presidente do Corinthians, André Sanchez, informou que se acontecer novamente de o ônibus ter um vidro quebrado, o time não entrará em campo. A Federação Paulista de Futebol evitou se pronunciar sobre a decisão do clube alvinegro. Somente o presidente do Tribunal de Justiça Desportiva, Antonio Olim, falou sobre o assunto e avisou ao Estado que se não entrar, o time vai perder por W.O. "A não ser que um jogador se machuque, aí é diferente."

Sobre a chegada das delegações, a estratégia de segurança será definida pelo responsável da escolta no momento do deslocamento. "É uma informação estratégica que vai depender do cenário. A decisão é do policiamento do momento e não dos clubes. Os clubes informam o horário de saída apenas. Se for viável que cheguem juntos, vai ser assim. Se não der por problemas de deslocamento, trânsito, vamos adotar outra estratégia", informou o Major.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.